Não somos racistas!

Não somos racistas! Porque temos uma consciência humana! Porque somos todos iguais! Verdade? Contra fatos não há argumentos!

Realmente, não somos racistas. Mas, escravizamos um continente inteiro motivados pela ganância e justificamos a cor da pele como argumento “plausível” para a inferioridade desses povos, e ainda usamos a ciência para consolidar isso com suas teorias, o racismo científico.

Certamente, não somos racistas, só expusemos esses povos ao sequestro, a separação de suas famílias, de sua terra natal, a uma diáspora forçada numa travessia atlântica mortal. E os vendemos como peças, mercadorias, objetos desprovidos de humanidade.

De fato, não somos racistas. Apenas promovemos o rateio do continente africano, exploramos suas riquezas, naturais e minerais, seus povos, subjugando-os. Plantando conflitos, estimulando guerrilhas étnicas, desumanizando seus corpos, histórias e culturas.

Não somos racistas. Vivemos num país harmoniosamente miscigenado, no qual a maioria da população é negra e vive as sequelas herdadas da escravidão forçada. Somos 75% entre os mais pobres, o desemprego e informalidade nos ronda e a fome voltou a sentar à mesa para as refeições.

Não há a menor dúvida de que não somos racistas. A cada cem homens mortos, 75 são jovens negros entre 19 e 25 anos. 66% das mulheres vítimas de feminicídio são negras. Tantos José, Marias, Miguéis, Agathas, Adalbertos aparecem nos jornais vitimados pela violência cotidiana. E quantos mais precisam morrer para entendermos que essas injustiças precisam deixar de acontecer?

Não estamos mais no novembro negro, mas para os negros e negras desde país, todo dia é dia de lutar pela sobrevivência e pelo direito de existir. Mas, não somos racistas! Dizem, que contra fatos não há argumentos. O que os fatos te dizem? O que as estatísticas te mostram? O que a predominância da população negra nesses números te contam? Te mostrei alguns dos fatos e então, qual é o seu argumento?

Ilustração: Marta D’Asaro

Pedagoga e professora do IFRN, campus Apodi. Mestra em ensino pela UERN e doutoranda em educação pela UFPB. Autora do livro "Entre Saberes e Fazeres Docentes: o ensino das relações étnico-raciais no cotidiano escolar". Tem contos e poesias publicados em antologias. [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo