Natal Canibal

Abaixo a letra da canção vencedora da terceira edição do MPBeco. Música de Moisés de Lima e Graco Medeiros. Tive o privilégio de escutar bem antes da apresentação no festival, ainda em Santa Rita, na minha casa de praia. Voz e violão… e algumas cervejas. Na oportunidade eu avisei: essa música é sensacional. Quem quiser o arquivo em mp3 da música tocada no MPBeco, entre em contato com Moisés pelo email moises@diariodenatal.com.br

NATAL CANIBAL

A índia que dançava nua
Chamando o colonizador,
Passou turista bem passado,
Depois Cascudo divagou.

A turma vinda de além-mar
Em Touros quando lá chegou,
Mandou fazer hotel, pousada,
Lavar dinheiro em bangalô.

No tempo da segunda guerra
Toda Parnamirim queimou,
Surgiu assim a base aérea,
Foguete Natal já se lançou!

A ponte do Forte-Redinha
Erguida sobre o Potengi,
Namora as duas metades,
As duas filhas de Poti.

A caravela abriu as velas,
Um gringo carregou meu bem,
Danei-me para Ponta Negra,
Peguei a mulher dele também.

Por isso que eu toco rock,
Por isso que eu canto blues,
Sou do Rio Grande do Norte,
Miami já não me seduz!

Acredito que música, literatura e esporte são ansiolíticos dos mais eficazes; que está na ralé, nos esquisitos e incompletos a faceta mais interessante da humanidade. [ Ver todos os artigos ]

Comments

Be the first to comment on this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP