NAU

Minha reflexão
É fonte de tormenta
Não sossega

Na caixa encefálica
Os pensamentos vêm aos montes
Numa sequencia estonteante

As informações chegam e voltam
Umas atrás das outras
Num ritmo alucinante

Como ondas do pacifico
Quebrando no rochedo
Que nunca protesta

Quisera eu coordená-las
Ter poder sobre ela
(é impossível)

Os oceanos
Ditam o ritmo das marés
Que vão seguindo a corrente
Eu nau a deriva

Sou artista visual, fiz várias exposições individuais e coletivas, já participei de salões, palestras, seminários, whorshop, projetos culturais, oficinas de arte, intervenções urbana e etc... Escrevi um livro de poemas "Agonia" que é mais pessoal que poético e gosto do portugues escrito de forma simples onde pessoas com menos formação acadêmica tenham condição de ler e entender. [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo