Nem 8 nem 80: Catorze!

O experimentalismo e o hibridismo de linguagens estão presentes no jornalismo cultural desde o início do século 20, pelo menos. Mas, as crianças crescem e com elas, seus brinquedos. E a diversidade editorial e informativa evoluiu para ferramentas midiáticas como blogs, sites e outras mídias contemporâneas recheadas de mecanismos de multimídia. É a tendência futurista. Em Natal, um projeto encabeçado por universitários de jornalismo avança com uma proposta modernista do fazer jornalístico, ainda que alternativo. É a revista eletrônica Catorze. Será lançada hoje no Bule Café Atelier (Av. Ayrton Senna, ao lado da UERN) a partir das 19h. Música acústica, samba-rock e discotecagem e 50 batidas de coquetel animarão os visitantes.

Uma única edição impressa da revista eletrônica ficará exposta à visualização na estante do Bule Café. Como manda os novos tempos e as novas tecnologias, o conteúdo informativo e opinativo, voltado à seara cultural, estará no site www.revistacatorze.com.br a partir das 18h30 de hoje, pouco antes do lançamento oficial do projeto. A atualização será quinzenal, sempre acompanhada de uma edição impressa. Para o primeiro número virão reportagens a respeito do Museu Djalma Maranhão; o projeto Barracantes, do Clowns de Shakespeare; da Caravana da Cidadania Cultural; quadrinhos, eventos, literatura, textos opinativos e espaço colaborativo para novos autores, além das primeiras matérias da série sobre a Coleção Mossoroense.

O projeto ainda é todo bancado pelos próprios idealizadores – quatro estudantes do último período de jornalismo da UFRN. Fábio Farias, Ramon Ribeiro, Beto Leite e Rayanne de Azevedo são os quatro remanescentes dos quinze iniciais da Revista Catorze. Segundo Fábio, a ideia começou em 2008 com o intuito de formatar um jornal impresso independente, a exemplo de outras publicações históricas da cidade como O Galo. O preço inviável empurrou a criatividade dos quinze universitários para a mídia mais barata e democrática. O blog funcionou como depositório de experimentos. E também para enxugar a galera mais interessada no projeto. A revista eletrônica foi pensada este ano e a primeira reunião de pauta foi realizada em agosto. Compraram o domínio do site, elaboraram o conteúdo e puseram na internet.

Segundo Fábio, a revista eletrônica representa o primeiro passo de projetos maiores. O site se pretende um portal de notícias voltado à cultura, com uso de áudio e multimídia. Os estudantes já estudam a cobertura em tempo real da primeira edição da Feira Literária da Pipa (Flipa), programada para 24 a 26 deste setembro. Outra ideia menos original e tão boa quanto é o crossbooking – a troca gratuita de livros. Já durante o lançamento da Revista Catorze ficarão disponibilizados 15 livros de autores renomados como Raul Pompéia, Charles Bukowski e outros. O método é simples. O interessado pega o livro, lê e repassa para outra pessoa. O intuito é divulgar o projeto (em cada livro haverá um adesivo publicitário da revista eletrônica) e incentivar a leitura. Todas iniciativas “linkadas” ao jornalismo cultural. Aliás, o que não é cultural no jornalismo?

Revista Catorze (lançamento)
Onde: Bule Café Atelier (Av. Ayrton Senna, ao lado da UERN)
Data e hora: Hoje, às 19h
Entrada Franca, com apresentações musicais e discotecagem

* Matéria publicada no Diário de Natal deste sábado

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

10 − 5 =

ao topo