Nem capitalismo e nem comunismo

Muito lúcido o artigo de Eric Hobsbown publicado abaixo. Curioso é que o historiador inglês, comunista histórico, aponta para uma forma de governo que ficaria entre o privado e o público. Rechaça capitalismo e comunismo puros. Ambos se mostraram incapazes de resolver os complexos dilemas da humanidade. Acho que deve se buscar um meio termo entre essas duas ideologias, juntando as coisas boas do capitalismo, como por exemplo, a democracia, com as preocupações sociais do comunismo, como mais igualdade social.

Esses dois trechos a seguir sintetizam o artigo. Transcrevi-os também porque me identifiquei politicamente com eles:

“A diferença crucial entre os sistemas econômicos não reside na sua estrutura, mas sim na suas prioridades sociais e morais, e estas deveriam, portanto, ser o argumento principal do nosso debate.

O objetivo de uma economia não é o ganho, mas sim o bem-estar de toda a população. O crescimento econômico não é um fim, mas um meio para dar vida a sociedades boas, humanas e justas. Não importa como chamamos os regimes que buscam essa finalidade. Importa unicamente como e com quais prioridades saberemos combinar as potencialidades do setor público e do setor privado nas nossas economias mistas. Essa é a prioridade política mais importante do Século 21”.

ao topo