No bloco dos “sem twitter”

Não aderi ao twitter. Não vejo, até esse momento, nenhuma razão prática para fazê-lo. Pelo menos por enquanto, deixo o brinquedinho para os nossos políticos, que precisam se ocupar com alguma coisa. Tentaram me convencer da importância desse novo meio de comunicação. Peço uma boa razão para passar a usá-lo. Alguém diz: para as pessoas saberem quando você posta texto no SPlural. Ora, mas não é só acessar o endereço eletrônico!? Eu vou lá ficar lembrando/incomodando ninguém para acessar o SPlural. Além disso, incomoda-me o caráter frívolo e deslumbrado que o twitter assumiu por essas plagas. Virou um modismo e talvez não dure até a chegada do verão. Não resta dúvidas, porém, que esse novo meio de se comunicar potencializou, notadamente num certo jornalismo online, a fofoca travestida de notícia. Pergunto: qual o sentido, qual a importância de saber que João Maia foi a um batizado; que Wilma foi a festa da padroeira tal; que Robinson foi para a cozinha preparar o jantar para sicrano; que Henrique, que Garibaldi, que fulano, que sicrano… um disse-me-disse vazio, idiota na maioria das vezes. Sinceramente, tenho mais o que fazer.

ao topo