No Reino de Hades

Mudança é a lei do universo. O que você acha que é morte pode ser vida. Baghavad Gita

O universo está em constante transformação. Sua entropia aumenta. A seta do tempo aponta numa só direção. Terminaremos um dia. É a lei inexorável. Entre a morte e a vida um breve tempo suficiente para fazermos mais do que pensamos fazer e menos do podíamos ter feito. A morte e a beleza são duas coisas profundas., escreveu Victor Hugo.

A morte , a temível caetana é a musa inspiradora de lindos versos. Os românticos tinha um pacto com ela. Por amor morreu Werther. No túmulo do poeta Keats no cemitério protestante de Roma está escrito na lápide: “Here lies one whose name was write on water.” Aqui jaz alguém cujo nome foi escrito na água.

Belíssimos quadros e esculturas foram pintados e talhados lembrando o reino de Hades. Alguns cemitérios são verdadeiros museus a céu pelo céu desejado. Os túmulos majestosos são topoi que permeiam as civilizações. No Brasil, o escritor Clarival do Prado Valadares publicou em dois suntuosos volumes uma obra monumental em homenagem aos mortos. Arte e Sociedade nos cemitérios brasileiros.

Hoje lembramos daqueles que entraram no reino do Hades. Alguns tentam ser lembrados em túmulos suntuosos. Os matemáticos deixam um fórmula. Os poetas um poema. Os políticos uma frase. Os amigos a lembrança eterna. Choramos, rezamos e celebramos o dia dos mortos. Acendo uma vela a todos eles. Canto meu cantochão.

Físico, poeta e professor [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo