Noel na Catita

O dia amanheceu cantando Noel e seu centenário. Em Natal, um show no Buraco da Catita com direito a uma palestra introdutória do amigo Múcio.
Já na chegada encontro Múcio com Gutenberg. Conversamos um pouco.

O show- homenagem demora a começar. O ingresso de vinte reais é caro para um teatro improvisado entre paredes. A catita tem fome. Na catita só tem cerveja Nobel e Devassa (arre égua). Uma é péssima e a outra é cara.
Por Noel vale tudo. A catita tá cheia de jovens e adultos. Muita mulher bonita, famílias e músicos.

Já se aproxima das dez da noite quando Múcio começa a falar, depois de uma longa passada de som ( Quando Natal vai deixar de ser amadora!!!).
Múcio fala e ninguém ouve. Não era o ambiente para uma palestra. Começa o show com os comentários de Múcio entre uma e outra música.
Menos mal que a longa fala introdutória. Mesmo assim não precisava dizer hora, dia, mês e ano que a música foi composta.

Algumas cantoras cantam Noel com destaque para Cristal e Glorinha Oliveira. Outras músicas são cantadas pelos componentes do grupo.
Desafinações, músicas fora da sua tessitura e péssimas interpretações para alguém que conhece bem o cancioneiro noelino.

Noel é tão bom que ainda assim agrada A seleção das músicas não foi a melhor. Tocaram todas as músicas de despedida: adeus, até amanhã, etc.
Grandes canções de Noel foram apenas improvisadas num show que me pareceu um ensaio. Uma efeméride que merecia mais profissionalismo e ensaios. Uma pena!

ps. Muitos amantes da MPB presentes. Gostei de dividir uma mesa com Chagas e Aluízio Mathias. Um outro colega disse que não gostava de Guinga Ai tive que discordar e dizer que Guinga é maravilhoso. Harmonias e melodias sofisticadas. Não sei porque ele veio falar de Guinga. Aí ficou com raiva de mim. Saiu da mesa.

Ps2. deixei de honrar outros compromissos para um show que não me acrescentou nada.

Ps3. Se a catita continuar faminta e vendendo Nobel diga aí que eu não vou. A camiseta com Noel quarenta pau. To fora
Show de fundo de quintal para preços de Riachuelo

Físico, poeta e professor [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Há 3 comentários para esta postagem
  1. João da Mata 12 de dezembro de 2010 11:26

    Da proxima vez cante o samba inteiro. Adoro esse samba. Cantei muito nas minhas rodas de samba.

    Palpite Infeliz / Noel Rosa

    Quem é você que não sabe o que diz?
    Meu Deus do céu! que palpite infeliz!
    Salve Estácio, Salgueiro e Mangueira,
    Oswaldo Cruz e Matriz
    Que sempre souberam muito bem,
    Que a vila não quer abafar ninguém
    Só quer mostrar que faz samba também
    Fazer poemas lá na vila é um brinquedo,
    Ao som do samba dança até o arvoredo
    Eu já chamei você pra ver,
    Você não viu porque não quis
    Quem é você que não sabe o que diz?
    Quem é você que não sabe o que diz?
    Meu Deus do céu! que palpite infeliz!
    Salve Estácio, Salgueiro e Mangueira,
    Oswaldo Cruz e Matriz
    Que sempre souberam muito bem,
    Que a vila não quer abafar ninguém
    Só quer mostrar que faz samba também
    A vila é uma cidade independente,
    Que tira samba mas não quer tirar patente
    Quem é você quem não sabe,
    Aonde tem o seu nariz?
    Quem é você que não sabe o que diz?
    Quem é você que não sabe o que diz?
    Meu Deus do céu! que palpite infeliz!
    Salve Estácio, Salgueiro e Mangueira,
    Oswaldo Cruz e Matriz
    Que sempre souberam muito bem,
    Que a vila não quer abafar ninguém
    Só quer mostrar que faz samba também
    Só quer mostrar que faz samba também

  2. W.Nunes 12 de dezembro de 2010 10:50

    “cancioneiro noelino” é de lascar a tampa do leitor. Vá ver que o nome da cerveja foi uma homenagem antecipada ao “nobel’ do comentarista genial.

  3. grace 12 de dezembro de 2010 10:48

    Que amargura!!!
    Você devia ter ficado em casa..
    Vinte reais???Você achou caro??
    Mau humor total.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo