Nosso símbolo maior clama por mudanças

Por Marcos Calaça

ESTAÇÃO FERROVIÁRIA: NOSSO SÍMBOLO MAIOR CLAMA POR MUDANÇAS

ANTIGA ESTAÇÃO FERROVIÁRIA DE PEDRO AVELINO RN

O nosso verdadeiro símbolo, inaugurado em 8 de janeiro de 1922, que viveu dias de glória no desenvolvimento do comércio e da produção agrícola, embora abandonado, mosta uma nudez e uma coragem implorando à nossa cidade para que os políticos não desistam de investir na cultura. É como dizia Câmara Cascudo:’Um povo sem cultura é um povo sem identidade, sem orgulho de sua história’.

Da mesma maneira que os administradores escondem as reais mazelas e a falta de perspectiva para um futuro melhor, a verdadeira cara de Pedro Avelino está mostrando que não adianta tapar o sol com a peneira, a falta de identidade do nosso povo.

Não somos catastróficos para anunciar que não teremos um bom futuro pela frente. A nossa literatura comprova que alguns políticos no executivo tiveram seus dias de glória e contribuíram decisivamente para o crescimento e o progresso do nosso município, inclusive, como pioneiro da Região Central em vários setores. Por outro lado, tivemos outros governantes que não colaboraram em nada para o desenvolvimento do nosso torrão que, de forma infeliz, perderam a grande oportunidade de fazer uma boa administração nessa terra sofrida, contribuindo para a péssima qualidade de vida da população.

Sem querer ser o maior pessimista de todos, não temos a curto prazo surpresas agradáveis para uma Pedro Avelino melhor, emancipada em 23 de dezembro de 1948 e que já passou da barreira dos 60 anos.

Em conversa com o folclorista e pesquisador Severino Vicente, o mesmo disse que conseguiu tombar o prédio da Estação Ferroviária. O projeto final é fazer desse patrimônio histórico a Casa da Cultura de Pedro Avelino.

Que salvem a nossa Estação. Estação do trem de passageiro, do trem de carga, do trem da água, do trole, do carro de linha, de criança contando o número de vagões, de pegar ‘morcego’ no último vagão, trem de trabalhadores que chegavam para a safra dos algodoais, da juventude estudantil, Estação que recebia os trens do grande desenvolvimento do comércio da nossa Pedro Avelino.

No lembrete: Derrubaram as Casas das Turmas (dos antigos funcionários da RRFSA). Destruíram também o nome Pedro Avelino, em alto relevo, que tinha nas alturas das paredes laterais.

Aqui deixo um lembrete aos navegantes: Qualquer um que passar pelos destinos do município e não cuidar deste ex-colosso, vai sempre levar consigo a marca e o remorso de ter deixado uma relíquia se acabar em suas mãos.

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × 2 =

ao topo