Nota de Washington

Por Marcelo Antinori

Ainda que a atenção se concentre na crise de curto prazo – Congresso paralisado e governo federal fechado – é importante entender o que acontece além do horizonte.

E com isso aproveito para fazer uma pequena homenagem a Álvaro Mutis, o grande escritor colombiano que partiu recentemente, e seu personagem Macqrol o gavieiro, que tinha por função subir no mais alto do mastro para tentar enxergar aquilo que outros não podiam ver.

Na sociedade norte americana dois elementos são a cada dia mais impactantes: o distanciamento da sociedade com relação aos políticos e um sentimento generalizado de dúvida com relação a eficácia de gastos do governo federal.

Políticos fazem de tudo para se manter no centro das atenções – dependem das primeiras páginas dos jornais para se reeleger – mas o que na verdade atraem é um maior desrespeito.

Ações políticas, que em outros tempos poderiam ser consideradas heróicas, hoje parecem patéticas. O interesse dos cidadãos se desvia cada vez mais para os governos locais (mais próximos e passíveis de controle) e é cada vez é maior a desconfiança com relação a esta enorme caixa negra dos gastos do governo federal.

Em Washington são muitos os que reclamam do fechamento do governo – afinal aqui muitos são empregados públicos – mas a nível nacional, ainda mais importante do que o fechamento das entidades publicas é a imagem que se reforça de uma organização política bipartidaria que já não funciona e que necessita de ajustes para recuperar sua credibilidade.

Males vêm para bem porque nos fazem pensar. Crises abrem novos caminhos pois mobilizam a sociedade – não necessariamente na direção que os políticos de sempre nos querem levar, mas por novos caminhos que ainda não conhecemos e que estão apenas se gestando no horizonte.

 

Marcelo Antinori – Brasileiro que vive em Washington. Economista e escritor autor de “O húngaro que partiu sem avisar”; disponível em Amazon.com.br e em ptbr.kobobooks.com.br. Email: Marcelo@marceloantinori.com.br

Comments

Be the first to comment on this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP