Notas etc

Por Tácito Costa

Livro sobre Moacy

Estive hoje (18) pela manhã no Sebo Vermelho e o sebista e editor Abimael Silva me pediu para informar que as pessoas interessadas em publicar texto sobre o escritor Moacy Cirne, no livro que será editado pelo Sebo, pode enviá-lo para o e-mail do design gráfico Alexandre, argumento@supercabo.com Quem quiser mais detalhes sobre o livro pode entrar em contato direto com ele pelo celular 9401-9008 ou no próprio Sebo.

Sérgio Vilar

O desembarque de Sérgio Vilar no SP está dependendo tão somente do pessoal da Velty, empresa responsável pelo projeto gráfico do blog. Eu e Sérgio conversamos no início da semana com o chefão da Velty, Raphael Guedes, que ficou de criar um espaço destinado ao blogueiro e jornalista cultural. Esse espaço deverá ganhar um novo contorno a partir do segundo semestre quando pensamos em fazer algumas mudanças mais profundas no visual do SP.

Contos de Demétrio

O escritor Demétrio Diniz lança este ano o seu terceiro livro de contos, que tem nome provisório de “Bonecos habitáveis”, homônimo do seu último conto publicado quinta-feira aqui no blog. Os outros dois livros foram “Sob o céu de Natal” e “ Idas e vindas de São Serapião”.

Gravidade

É um mistério insondável para mim que o filme “Gravidade” (foto) concorra em nove categorias do Oscar. Na minha desimportante opinião era pra concorrer somente na de efeitos visuais. Ou eu não estou sabendo mais o que é filme bom, ou os parâmetros mudaram totalmente e não me dei conta. Acontece! O excelente “A caça” (Dinamarca) foi indicado na categoria de melhor filme estrangeiro. Os outros foram: “A Grande Beleza” (Itália), “Alabama Monroe” (Bélgica), “L’Image Manquante” (Camboja), “Omar” (Palestina). Não assisti nenhum. Notei agora que “A Grande Beleza” tem lá na 7 arte, vou pegar pra conferir.

Munro

Estimulado pelos bons comentários que tenho ouvido dos amigos acerca da excelência literária de Alice Munro, que ganhou o último Nobel de Literatura, procurei os livros dela nas livrarias Saraiva e Nobel (as duas únicas que restaram na cidade). Pode soar inacreditável, mas não existe um nem pra fazer um chá. Ainda bem que existe a Internet!

O sonâmbulo amador

“Vi Heloísa de longe, um dia, numa daquelas festas, com seu cabelo muito preto e a pele alva. Então me fixei nela durante um longo tempo, sem lhe falar do meu carinho. Nos meses iniciais da amizade, meu coração batia forte e acelerado. É tão tolo esse longo susto que nos causa uma primeira fascinação, é de fato uma poção ridícula, mas poderosa. Sei que vocês já passaram por coisa parecida e entendem disso, o amor é assim mesmo como estou dizendo. Algo bom e que nos deixa com o riso e o choro fáceis demais”.  De José Luiz Passos, em “O sonâmbulo amador”, primeira leitura de ficção de 2014, em curso.

Comments

There are 14 comments for this article
  1. Marcos Silva 19 de Janeiro de 2014 7:21

    Preocupação preocupante: a livraria da Cooperativa Cultural da UFRN fechou?

  2. Jarbas Martins 19 de Janeiro de 2014 8:23

    O desembarque de Sérgio Vilar no Substantivo Plural é a grande notícia deste domingo. Olha, Tácito, depois que você fez elogios aos meus comentários, além de ter ficado muito contente, achei que bom mesmo é ficar mesmo neste ofício que venho desenvolvendo despretensiosamente.Deixo de ser colunista, cedendo espaço para talentos jovens, que trará mais agilidade e vitalidade ao nosso querido SP.Abraços.

  3. Tácito Costa
    Tácito Costa 19 de Janeiro de 2014 9:10

    Jarbas, deixe de onda,você é um dos coringas do SP, manda bem em todas. Abç

  4. Tácito Costa
    Tácito Costa 19 de Janeiro de 2014 9:12

    Marcos, pelo menos até novembro ela continuava aberta. Mas acho que não fechou senão a notícia tinha ganhado alguma repercussão.

  5. Marcos Silva 19 de Janeiro de 2014 9:51

    Tácito: perguntei pq vc citou Nobel e Sariava como “as duas únicas que restaram na cidade”. Silogismo: a livraria da cooperativa fechou!

  6. Tácito Costa
    Tácito Costa 19 de Janeiro de 2014 10:06

    rs. Foi mal, Marcos, agora que me toquei do erro. Vou pouco a cooperativa porque é “contramão” pra mim, por isso acabei esquecendo de citá-la. Mas é uma excelente livraria.

  7. Lívio Oliveira 19 de Janeiro de 2014 11:12

    Tácito, há livros de Alice Munro na Cooperativa. Comprei alguns no final de 2013. Aguardam minha leitura em meio a uma fila maior do que a do TRE no recadastramento eleitoral.

  8. Jarbas Martins 19 de Janeiro de 2014 11:24

    Em março haverá eleição para a presidência da Cooperativa.Uma chapa em formação, encabeçada pela professora Vilma Vítor tem planos para tornar a livraria mais ampla, e em local mais accesível ao público em geral.Sugestão minha,seu velho sócio: já que a Cooperativa não é da UFRN (e paga caro pelo espaço pequeno e escondido, onde está instalada) por que não instalá-la fora dos limites da Universidade, mas não tão distante dos seus alunos e professores?

  9. Marcos Silva 19 de Janeiro de 2014 11:50

    Jarbas: sou multi-usuário há um tempão (compro, faço lançamentos). Acho importante a Cooperativa funcionar dentro do campus E noutros espaços. No campus, ela desempenha importante função, a maioria dos campi que conheço não tem nada parecido. Fora do campus, ela fará uma excelente integração entre academia e sociedade geral. Agora, não é legal pagar caro. Isso deveria ser negociado internamente. Tenho certeza que os colegas da cooperativa têm trânsito no Conselho Universitário e adjacências para superarem esse embaço.

  10. Tácito Costa
    Tácito Costa 19 de Janeiro de 2014 12:19

    Jarbas e Marcos, eu acho que é possível manter a cooperativa no endereço atual e criar uma filial, menor e mais direcionada à literatura, em um lugar mais acessível. Uma parceria com alguma cafeteria da cidade talvez fosse uma saída interessante porque os custos seriam rateados.

  11. Jarbas Martins 19 de Janeiro de 2014 12:24

    A idéia é muito boa, Tácito.

  12. Marcos Silva 19 de Janeiro de 2014 12:29

    A idéia de Tácito é realmente boa. A filial poderia promover algumas atividades culturais que mantivessem os laços com a universidade (oficinas, espetáculos etc.).

  13. Tácito Costa
    Tácito Costa 19 de Janeiro de 2014 12:38

    As paredes das cafeterias, muitas vezes vazias, poderiam abrigar estantes (tipo pranchas de madeira etc), sem perda significativa de espaço, acho que vale uma experiência piloto. Jarbas, que está mais próximo do pessoal da cooperativa, pode sugerir essa idéia.

  14. Jarbas Martins 19 de Janeiro de 2014 12:53

    Acho que Vilma Vítor e Lívio Oliveira, dado à liderança,visibilidade e influência que têm no mundo acadêmico e junto ao funcionários, são as pessoas indicadas, Tácito, para sugerir essa idéia.Um nome como Wandyr Vilar, estudante da UFRN, frequentador assíduo da cooperativa, e de inegável reconhecimento no mundo cultural, também poderia levar adiante essas providências.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP