Novela da Casa de Cultura de São José de Campestre tem final quase feliz

Lembram do imbróglio envolvendo o despejo de artistas da Casa de Cultura de São José de Campestre pelo agente cultural eleito, o tal Elson da Mega Sena? Pois a novela talvez tenha decretado o final hoje.

Elson Félix de Lima foi exonerado hoje, após nomeação em 26 de março. Poderia citar que infelizmente Alexandre Campestre não o substituiu, posto que meu texto foi praticamente um lamento pela sua exoneração.

Mas não. Alexandre recebeu apoio da prefeitura e passará a coordenar o setor de Cultura do município. Os artistas que antes usavam o espaço e movimentavam a Casa de Cultura, agora realizam suas atividades em outro local cedido pela prefeitura.

Em resumo, estão muito bem obrigado. Enquanto a Casa de Cultura – talvez a mais movimentada do Estado – está na pior. Sem agente de cultura. Sem movimentação. E sem apoio. Mais sobre o caso AQUI.

Antes que Alexandre me informasse do novo cargo e após eu lhe ter informado da exoneração do Elson, hoje, perguntei o porquê de ele não querer reassumir o posto de agente de cultura. Resposta: “É tanta coisa, meu amigo. Questão de segurança pessoal”.

Daí vocês tiram como se age nos bastidores da nossa cultura! Avante, Alexandre!

Jornalista por opção, Pai apaixonado. Adora macarrão com paçoca. Faz um molho de tomate supimpa. No boteco, na praia ou numa casinha de sapê, um Belchior, um McCartney e um reggaezin vão bem. Capricorniano com ascendência no cuscuz. Mergulha de cabeça, mas só depois de conhecer a fundura do lago. [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo