Nunca houve um cineasta como Akira Kurosawa

Cena de “Os sete samurais”

Por André Barcinski

De vez em quando, aqui em casa, fazemos uns ciclos dedicados a certos cineastas. Estamos bem no meio de uma “fase Kurosawa”, assistindo, em ordem cronológica, a todos os filmes disponíveis do mestre.

aqui

Comentários

Há 2 comentários para esta postagem
  1. Johnny Cavia 19 de dezembro de 2011 7:57

    Barcinsky não cita, mas é uma obra primorosa.
    trecho da crítica
    “Há algo de podre no reino do Japão. Esta sentença parafraseada de Hamlet serve muito bem para dar uma idéia deste filme do Kurosawa, talvez uma adaptação bastante livre do romance de Shakespeare. É notória a apreciação do diretor pelo escritor, basta observar alguns de seus filmes como “Ran” e “Trono Manchado de Sangue”.

    Uma mistura de thriller, drama e até elementos presentes em filmes Noir, “Homem Mau Dorme Bem” é um filmaço, daqueles merecedores de estarem entre os grandes de qualquer diretor. Talvez não seja muito lembrado na filmografia do Kurosawa, pois afinal de contas, com tantos grandes filmes e uma obra como “Os Sete Samurais”, um ou outro acaba sendo esquecido. Mas isso só acontece porque é um Kurosawa, outro diretor de porte mediano talvez tivesse este como um dos seus melhores longas.

    A história é sobre um homem em busca de vingança, voltando-se contra o magnata de uma coorporação que usa de corrupção e poder para tentar alcançar um lugar ao sol no alto escalão político. Com Toshiro Mifune e Takashi Shimura em papéis-chave e uma ótima atuação de Masayuki Mori como o diretor corrupto, o filme nos proporciona grandes cenas, que aos poucos vão nos mostrando o que está por trás de estranhos eventos que vão acontecendo após o casamento da filha do executivo da empresa.

    Banhado por uma fotografia toda sombria e boa trilha sonora, o roteiro de duas horas e meia, que começa num thriller e termina num drama, virou um filme que funciona muito bem e te pega de surpresa, se vai assisti-lo pensando que pode ser “aquele” filme do diretor japonês a ser esquecido. Não é. ”

    De: http://fredalme.mult…reviews/item/26

  2. Johnny Cavia 19 de dezembro de 2011 7:54

    Warui yatsu hodo yoku nemuru
    ou Homem Mau Dorme Bem, de 1960 é um Kurosawa que merece ser revisto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo