O amigo louco varrido de Gauguin

carta de gauguin

Na época em que quase toda a comunicação era feita por meio de cartas, até a década de 1970, a imensa maioria destas, quando recebidas por seus destinatários, lhes pareciam tratar apenas de assuntos banais.

O correspondente era geralmente apenas um conhecido e quem recebia a carta pouco ou nada recordava, logo depois, das platitudes ou elucubrações que havia acabado de ler nas folhas recebidas num envelope. Mas algumas dessas cartas foram inexplicavelmente conservadas e continuaram a seguir seu destino improvável, chegando às mãos de vários outros “destinatários” ao longo de décadas e, às vezes, séculos.

Mais: aqui

(Autor: Pedro Corrêa do Lago, in: Revista Piauí).

Brasileiro, nordestino, alagoano, advogado, cidadão comum, simples habitante deste planeta decadente... Rs... [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Há 2 comentários para esta postagem
  1. Danclads Andrade 3 de março de 2012 20:57

    Verdade, Anchieta. Valeu!!

  2. Anchieta Rolim 23 de fevereiro de 2012 22:08

    Maravilha!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo