O antropófago descolonizado

Por Camila Souza Ramos e Glauco Faria

Aos 72 anos, José Celso Martinez Corrêa concedeu entrevista à Fórum depois de participar durante algumas horas da gravação de um programa televisivo. Logo após conversar conosco, se preparava para atuar no espetáculo O Banquete, que será encenado minutos depois no Teatro Oficina. Elétrico, com gestos expansivos, transparece uma energia que vai muito além da sua idade. Justificada, segundo ele, porque “desenvolvi pelo teatro um atletismo afetivo. Não fiz musculação, fiz outra coisa”.

aqui

Comentários

Há 2 comentários para esta postagem
  1. joão batista 2 de janeiro de 2011 16:12

    Título redundante. No contexto da cultura brasileira, se é antropófago é descolonizado.

  2. Marcos Silva 2 de janeiro de 2011 16:00

    Amigos e amigas:

    Muito legal essa entrevista de Zé Celso, tesão transformador, alegria da beleza. Esquerda pode ser mais do que tem sido. Arte e cultura são direitos básicos, gêneros de primeiríssima necessidade.
    Abraços:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo