O Brasil é um exame de fezes da democracia

A Democracia há de ser conquista. E se a negação dela foi fruto de luta renhida dos seus inimigos, ela só poderá ser restaurada com a luta de igual compostura dos seus refeitores. Regime de consentimento, de negociação espúria: “tu me dás o poder e eu te garanto inocência dos crimes” , não aufere autoridade moral nem legitimidade para dignificar o poder. O poder exercido no Brasil não é legítimo nem digno. Nem democrático. Somos mendicantes da liberdade. Mendigos de uma democracia caolha, que diferentemente da arte, completa na forma, não se robustece no conteúdo. O estado público de cócoras ante a organização criminosa da bandidagem. A educação pública inadjetivável. Saúde, que saúde? Eleição? Eleição é prática em qualquer república bananeira. É conseqüência da liberdade e não causa. O Brasil é um exame de fezes da democracia. Cuja cultura vai mostrar as bactérias universalmente conhecidas. Quando vai mudar? Quando tivermos coragem de correr riscos da mudança. Essa eleição de agora é mais uma festa do circo. Voto Nulo.

Ex-Presidente da Fundação José Augusto. Jornalista. Escritor. Escreveu, entre outros, A Pátria não é Ninguém, As alças de Agave, Remanso da Piracema e Esmeralda – crime no santuário do Lima. [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Há 3 comentários para esta postagem
  1. François Silvestre 30 de setembro de 2010 9:43

    Basta mostrar o que mereça aplauso, que não seja o tinir da moeda na bacia do esmoler; que seja a dignidade de uma pátria, mesmo em formação. Não pense que jogo pedras só por jogar. Nem silencio só por silenciar. “Se calei foi de tristeza, Você calou por calar”. lembra desses versos do Vandré? Nem nos tempos da Ditadura o fanatismo me convenceu. Mesmo os fanáticos movidos pela ira santa, contra a violência chumbada. Imagine a pena que me dá ver fanáticos por obreiros tão medíocres. Claro que esse texto de Luis Sávio não revela um fanático. É um texto ponderado. De reflexão. Mas se apega à mediocridade política. O PT acolhe grandes quadros, inclusive aqui. Mas o mando no partido de há muito deixou de lustrar a sua estrela. Hoje a lustra com Kaol. Todo fanático carrega suas convicções num andor. E imagino o peso de carregar esse andor com Sarney e sua thurma do Maranhão, Collor e sua thurma de Alagoas, Dirceu e sua thurma do mensalão. Meu voto nulo, mesmo que você não acredite, não é acabrunhamento. Não. É resistência.

  2. Luis Sávio Dantas 29 de setembro de 2010 22:54

    Nietzsche diz que, enquanto seu Zaratustra não for ensinado nas escolas a sociedade não se livrará da decadência. Sendo para ele, O Zaratustra, a aurora de um homem que pairando além e do mal seria existencialista por ser responsável por seus atos, e seria por ser assim um verdadeiro artista. Podemos dizer que enquanto a “política” não for ensinada a partir do jardim de infância, a sociedade será decadente, contudo isso, conhecendo minímamente a história do escritor François Silvestre, sua posição de voto nulo, parece-me acabrunhamento. O governo LULA tem pelo menos a virtude de combater a miséria absoluta, e o analfabetismo crônico, só isso lhe credencia a nos pedir apoio para Dilma. Acho até que o governo LULA não avançou mais por incompetencia da direção do PT e incompetência da oposição que se comportou de forma tacanha.

  3. Alex de Souza 29 de setembro de 2010 22:04

    e o povo ainda diz que eu é que sou brabo. valeu, françois!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo