O cangaço no SP

cangaço

“Olha, isso aqui tá muito bom
Isso aqui tá bom demais
Olha, quem ta fora qué entra
Mas quem ta dentro não sai”.

Fernando, querido, bom dia, já é dezembro no teu calendário e Tácito não nos convidou para uma confraternização de Natal? Ia dizer que não intime-o, mas agora acho que deves.

Lampião trouxe a luz com seus espelhos, magníficas, espelhadas, luzentes, reluzentes até, brilhantes – não sei -, revelações… Revelações importantes, tais como:

1º) Da Mata e sua alcunha, “Joãozinho do Sertão”, pra mim era só Da Mata, que amo muito, mas agora tá completo, é do Sertão e eu gostei… Rs;

2º) E Tácito, “O Sedutor de Natal”, sabia que ele atirava, mas não com tanta presteza a ponto de ficar famoso; desconhecia a fama… Rs… Tá de parabéns Tácito… RS… Aproveito para mandar, de colete, um abraço cheio de saudade.

Vejam amigos, Lampião faz história, até no SP. Sei não, o cara tá vivo ou sua assombração continua fazendo redemoinhos. O cara era feiticeiro e até hoje basta falar seu nome que começa a guerra.

Verdade é que, nestes tempos de tantos conflitos, existem pessoas maravilhosas assim como Da Mata e que mesmo quando fala sério, mostra-nos que o humor é necessário para suportarmos uma realidade tão dura… E os Lampiões que habitam entre nós, ainda hoje, e o cangaço que não se enfeita de espelhos, mas de fogo e não anda de jumentos, mas de Hilux, Pajero Full, aviões particulares e toda a sua pompa; é um cangaço moderno (…).

Voltemos o olhar para o Rio de Janeiro, um cangaço diferente, sem matas, sem Caatinga, só podridão e nem os perfumes franceses que Maria Bonita e Lampião usavam conseguem desinfetar os odores deste cangaço.

E com recursos digitais, virtuais, sem os rifles de Lampião – aquilo era lá arma, aquilo era “baladeira”, “estilingue” pra matar passarinho, para manter o pasto… – agora sim, é um cangaço forte que faz parar a cidade e não tem freio, não. Não creio nessa investida; o cangaço vai à frente. Não desafio ninguém… Apenas não creio.

Tem cangaceiro bem vestido, usando gravata, usando terno e precisando da guerra. Veja só: Lampião que era Lampião…, espelhado, duvidoso, cintilante, um tanto Clodovil – nos enfeites, digo – Rs… Deixou grana, deixou patrimônio, deixou barras de ouro… Os Lampiões de hoje não abrem mão da sua fama, nem da grana.

Acho que fiquei “séria”, não era isso que eu queria dizer.

Prefiro a prosa neste contexto do SP, pois de violência meus olhos andam fartos.

Valeu Da Mata, você é essencial e somos todos importantes, aqui nesta casa (SP), neste espaço que nos deixa tão à vontade, abraço a todos: Jarbas, Orlando, Lívio, Antônia, enfim todos os personagens desta prosa; (valeu Fernando, você incitou a prosa, beijos).

Agora, pessoal: vamos ter cuidado com Tácito, o cara é sedutor… Rs, beijos.

PS: Seria muito bom juntar todos os cangaceiros do SP para confraternizarmos ao som de um xote ou de um baião. Eita!

Comments

There are 4 comments for this article
  1. Lívio Oliveira 26 de Novembro de 2010 14:53

    Valeu, Ednar. Gostei do bom humor.
    Um abração.

  2. Fernando Monteiro 26 de Novembro de 2010 14:54

    Ednar, olha só o que uma mulher pode fazer com uns marmanjos se armando em torno do espaço vital de Tácito, o Terrível, o Implacável de Ponta Negra, Rôxa, sei lá (é o que dizem! Nunca vi, nem quero ver)…
    Essa paz, esse humor, essa elegância toda de Andrey Hepburn é coisa de Marias Bonitas e uma Ednar andando, leve, a pisar nos astros, distraída…

  3. João da Mata
    João da Mata 26 de Novembro de 2010 15:20

    Minha Querida Ednar e colegas,

    Ha muito o que aprender sobre esse nordeste arcaico- malarmaico.
    Um nordeste profundo e mítico . Alguns preferem olhar para fora, esquecendo de olhar a si mesmo.. O nordeste tem muito de medieval , ainda.
    No D. Quixote que eu tanto amo tem o famoso epsodio em que D. Quixote luta com o cavaleiro dos espelhos. D. Quixote perde e volta para casa. Esse era o acordo. Essa é a érica dos grandes cavaleiros que eu espero que seja seguida aqui no SPlural.

  4. Jarbas Martins 26 de Novembro de 2010 16:40

    E acho que o inventor da Estética do Cangaço foi o meu amigo Carlos Newton Jr.Organizou uma antologia sobre o tema, onde até
    o Newton Navarro comparece, cuspindo no facão.E como não bastasse o sotaque nordestino, escalou o Alexei Bueno.Que encarnou uma Maria Bonita pra macho nenhum botar defeito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP