O carnaval e a Astronomia

A quaresma e/ ou por que muda a data do carnaval?

Desde a mais remota antiguidade os povos se reúnem em festas para comemorar eventos de origem histórica ou mística. O carnaval (do latim carne vale – que significa afastar à carne) é uma das festas mais celebradas e sua origem é anterior ao cristianismo. Em 2010 o sábado de carnaval foi comemorado no dia 13 de fevereiro. Esse ano o sábado de carnaval caiu no dia 05 de março.

Quem determina a data do carnaval é a páscoa. O carnaval antecede os dias de penitencia da semana santa que fica há quarenta dias da quaresma. A quaresma do Cristianismo designa um período de 40 dias que antecedem a principal festa a ressurreição de Cristo, celebrada no Domingo de Páscoa desde o século IV. A Quaresma começa na quarta-feira de cinzas e vai até a quinta-feira santa, que celebra a última ceia de Cristo. Os cristãos costumam evitar o consumo de carne nesse período.

A terça-feira de carnaval acontece sempre 47 dias antes do domingo de Páscoa. E o domingo de Páscoa é definido como o primeiro domingo depois da primeira Lua Cheia que ocorre após o dia 21 de março (equinócio de primavera no hemisfério norte ou de outono no hemisfério sul).

Para saber o dia em que cai a terça-feira de carnaval devemos subtrair 47 dias do dia da Páscoa do ano respectivo. Com mais 60 dias teremos a data do Corpus Christi.

Festas pagãs incorporadas pelo cristianismo.

Os egípcios celebravam as festas do touro Ápis. Os gregos as bacanais e, os romanos, as lupercais (em homenagem ao deus Pã) e as saturnais, em homenagem ao deus Saturno da mitologia grega. Nas saturnais as pessoas trocavam presentes e os escravos percorriam as ruas se divertindo e temporariamente eram tratados como iguais. Durante as saturnais as pessoas se divertiam usando máscaras enquanto e seguiam um carro em forma de navio. O carnaval remonta à essas festas pagãs.

O calendário romano era dividido em dez meses, começando em março festejando a primavera. O ano terminava em Fevereiro, quando acontecia a Februália, em honra ao deus Februs – festejo associado à morte e purificação. Na Februália eram realizadas orações e oferendas em homenagem ao novo ano que chegava com a primavera.

O primitivo calendário romano baseava-se na Lua nova. O mês não era dividido em semanas como na atualidade. O mês era dividido em três dias básicos de referencia. Calendae ( calendas ) , nonae ( nonas ) e idus( idos). Calendas assinalava o dia em que o mês principiava, nona o dia 5, e idos o 13. Calendas aprilis era o dia consagrado a Juno. Os idos pertenciam a Júpiter, e a nonas davam oportunidades para as grandes festas populares.
William Shakespeare escreve a sua famosa frase na peça Júlio César;
“Cuidado com os idos de Março”

O cristianismo percebeu a força dessas tradições que festejavam a vida e a fertilidade e incorporou essas celebrações ao calendário da igreja católica. A ressurreição de Cristo teria acontecido próximo do equinócio da primavera (quando dia e noite têm a mesma duração) e durante uma lua cheia. Por isso a data da Páscoa deveria ser calculada com base nesses dois fenômenos.

Em 325 d.C., o Concílio de Nicéia estabeleceu regras bastante rígidas para a determinação da Páscoa: ela é celebrada primeiro domingo após a lua cheia que vier depois de 21 de março, início da primavera no hemisfério norte – e isto substituiria os ritos pagãos de fertilidade.

Mas essa regra baseava-se na suposição de que o equinócio da primavera boreal acontecia sempre no dia 21 de março. Naquela época o calendário utilizado era o Juliano, instituído pelo Imperador Júlio César, que embutia vários erros. Com o passar dos séculos, o equinócio da primavera se afastou do dia 21 de março, fazendo a Páscoa se deslocar pouco a pouco para o verão.

Solstício

Na astronomia, a palavra solstício significa sol parado. Nesse momento o Sol durante o seu movimento aparente na esfera celeste atinge a maior declinação em latitude, medida a partir da linha do equador. Os solstícios ocorrem duas vezes por ano: em dezembro e em junho. O dia e hora exatos variam de um ano para outro. Quando ocorre no verão significa que a duração do dia é a mais longa do ano. Analogamente, quando ocorre no inverno, significa que a duração da noite é a mais longa do ano.

No hemisfério norte o solstício de verão ocorre por volta do dia 21 de junho e o solstício de inverno por volta do dia 21 de dezembro. Estas datas marcam o início do verão e inverno. No hemisfério sul ocorre o inverso. Os Solstícios não são iguais em dias devido a excentricidade da órbita da Terra. A órbita da Terra em torno do sol é uma elipse de baixa excentricidade e, quando a Terra atinge o Periélio (maior proximidade do Sol), sua velocidade orbital é maior do que quando a Terra está mais distante (Afélio ). Os trópicos de Câncer e Capricórnio são definidos em função dos solstícios. No solstício de verão no hemisfério sul, os raios solares incidem numa área menor da Terra na linha que coincide com o Trópico de Capricórnio. Já no do hemisfério sul, essa incidência maior dos raios solares acontecem no Trópico de Câncer.

Calendário Juliano

A reforma ao calendário Juliano, proposta no pontificado de Gregório XIII, deu origem ao calendário Gregoriano (ou Liliano). A reforma feita, sob a orientação do astrônomo Lélio em 1582, consistia de algumas mudanças, tais como: Fixar a data da Páscoa para que nunca acontecesse antes de 22 de março ou posterior a 25 de abril, omissão de 10 dias na contagem do mês de outubro de 1582 de modo a ajustar o equinócio de primavera com o dia 21 de março (hemisfério Norte), etc. O ano Juliano tem esse nome devido ao seu mentor Júlio César, com a participação dos melhores astrônomos da época. A partir da reforma do calendário imposta pelo papa Gregório XIII, a Páscoa passou a ser determinada com base no movimento médio de uma lua fictícia e não do verdadeiro satélite. O dia do nascimento de cristo é fixo e ficou convencionado como 25 de Dezembro. Entretanto, o dia da Páscoa é variável.
Pela nova regra a Páscoa cai sempre no 1° domingo após a lua cheia eclesiástica (13 dias após a lua nova eclesiástica), que ocorre após (ou no) equinócio da primavera eclesiástica (21 de março). Com essa nova regra, a Páscoa nunca ocorre antes do dia 22 de março ou após o dia 25 de abril.

Programe os seus próximos sábados de carnaval

2012 – 18 de fevereiro
2013 – 9 de fevereiro
2014 – 1 de março
2015 – 14 de fevereiro
2016 – 6 de fevereiro
2017 – 25 de fevereiro
2018 – 10 de fevereiro
2019 – 2 de março
2020 – 22 de fevereiro

Bibliografia

Mourão, R.R.F. O Livro de Ouro do Universo RJ Ediouro 6ª ed. 2000.
Boczko, R. Conceitos de Astronomia. São Paulo, Edgard Blücher, 1984.
História do Calendário – Prisma • Brasil Edições Melhoramentos / EDUSP

Físico, poeta e professor [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Há 3 comentários para esta postagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

10 − cinco =

ao topo