O cinema perto de você


As novas tecnologias têm transformado a forma de ver o mundo. Não só novos conceitos são formados. A estética também recebe a cada dia novas molduras, seja na arte chamada contemporânea ou em novas definições de imagem. E a conceituada sétima arte não podia ficar de fora. O cinema acompanha a evolução da humanidade e o progresso tecnológico desde o século 19. Da apresentação do cinematógrafo pelos irmãos Lumiére, a produção cinematográfica galgou mais de 100 anos de experiências e histórias até alcançar a nova onda: as projeções de filmes com tecnologia tridimensional, o chamado 3D.

A novidade chegou em Natal sem alarde. A própria Rede responsável pela instalação e forte investimento na nova tecnologia preferiu economizar no marketing. Poucos natalenses sabem que há uma sala de cinema 3D no Shopping Midway. E com filme em cartaz desde 6 de novembro: a aventura Os Fantasmas de Scrooge, com Jim Carrey e Gary Oldman no elenco. O curioso é que o longa é uma adaptação de um conto natalino escrito há mais de um século por Charles Dickens. Quase na mesma época em que o cinema botava a cara no mundo. Já foi filmado, inclusive, em preto e branco e hoje recebe a mais avançada tecnologia disponível no mercado.

Outro motivo para a procura ainda tímida da sala 3D da Rede Cinemark é o preço do ingresso. Os valores são acima da média. Variam entre R$ 15 e R$ 22, conforme o dia da semana. Segundo funcionários da Rede (desautorizados a darem opiniões a respeito), a procura tem sido crescente. Diante da falta de propaganda, o “boca-a-boca” tem sido responsável pela divulgação e procura das salas. Segundo a organização do Cinemark em São Paulo, a previsão das próximas estreias, para dezembro, será a ficção Avatar (do diretor James Cameron, o mesmo de Titanic) e o terror Premonição 4.

Apesar do nível tecnológico mais avançado, os óculos ainda são necessários. Em vez das lentes azul e vermelha, uma versão escura para a tela prateada (Silver Screen). As lentes especiais e a distância entre os dois olhos fazem com que vejamos a mesma coisa sob ângulos diferentes. Com base nessas duas imagens vistas por cada olho, o cérebro nos engana e forma uma terceira imagem, proporcionando a profundidade da cena através da terceira dimensão. Essa tecnologia em Real D permite uma melhor noção de profundidade que a anterior. É um novo padrão. A dica é sentar o mais longe possível para a imagem parecer mais real ou “fora da tela”.

O Cinemark reservou a Sala 6 do Midway para o 3D. A capacidade é para 315 pessoas bem acomodadas. O investimento na montagem da projeção em 3D foi de 400 mil. Natal é a segunda cidade do Nordeste e a 40ª do país a receber a nova tecnologia. As salas em 3D estão espalhadas em 21 cidades brasileiras. O Cinemark lançou a primeira sala de cinema em 3D da América do Sul: no Shopping Eldorado, em 2006. Segundo dados da empresa, em 2008, foram cerca de 28 milhões de espectadores para assistir aos filmes brasileiros e estrangeiros, gerando uma receita bruta de cerca de R$ 370 milhões.

E depois do 3D?
A estimativa de especialistas é de que em dez anos o cinema 3D chegue às residências e o cinema precisará dar outro passo à frente. A tendência já experimentada é o IMAX – uma tecnologia que nenhum aparelho de entretenimento doméstico poderá reproduzir. Por motivos simples: as telas são gigantes. Se o cinema é chamado de telona pelas dimensões convencionais de 12 metros por 5 metros, o IMAX tem como padrão telas de 22 metros por 16 metros.

Além do tamanho, o IMAX promete levar o telespectador para dentro do filme. Esse efeito é criado pela combinação da projeção gigante, tela com maior curvatura, sistema de som digital sorround sound mais potente (mais que o dobro de uma sala comum) e ambiente montado de forma geometricamente favorável. O sistema chamado Rolling Loop torna o efeito 3D ainda mais real.

Segundo o site Idgnow, atualmente existem mais de 300 salas IMAX distribuídas em 40 países. Cerca de 60% delas estão nos Estados Unidos. Apenas 40% das salas ficam em shoppings ou centros comerciais. O restante está dentro de museus e centros científicos. No Brasil, a única sala equipada com IMAX foi inaugurada em 16 de janeiro, no Unibanco Arteplex do shopping Bourbon, em São Paulo.

O Unibanco Arteplex informou ao site Idgnow que a taxa de ocupação da sala IMAX se mantém em 90% e representa 50% do faturamento do complexo. O ingresso cobrado é no valor de R$ 30. O orçamento da sala Unibanco IMAX foi de 6 milhões de reais, incluindo equipamentos e a estrutura da sala.

Sala 3D no Cinemark Natal
Segunda, terça e quinta-feira: R$ 17
Quarta-feira: R$ 15
Sexta, sábado, domingo e feriado: R$ 22

* Matéria publicada no último domingo no Diário de Natal

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo