O cinema proibido dos dissidentes do Irã

CANNES O Festival de Cannes deste ano causou controvérsia ao banir Lars Von Trier, que apresentava seu novo trabalho “Melancholia”, em decorrências de algumas piadas mal interpretadas sobre o nazismo. Que ninguém acuse o evento, porém, de não apoiar os diretores em circunstâncias complicadas: foi lá que o cineasta Jafar Panahi, que cumpre pena de prisão no Irã, conseguiu exibir “In Film Nist” (This Is Not a Film, ou Este Não é um Filme, em tradução literal).

aqui

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

doze + dezesseis =

ao topo