O coletivo derrota a babaquice

Futebol é um esporte democrático. E como tal, resultado da ação coletiva. Daí dizer-se que ele não tem lógica, pois a lógica é coisa da babaquice individual. Endeusam Neymar, aí vem o Chile sem deuses e quase fatura. Endeusam Messi, aí vem a Suíça sem deuses e quase mela. Todos os times satélites de deuses tem sofrido, nesta Copa, o imponderável do coletivo. O Chile quase chega lá, sem idolatria individual. A Colômbia tem um time que assusta e encanta, mas a babaquice midiática já está querendo pôr um deus no time. Os babacas são subalternos da idolatria. Quem preza a própria dignidade não se esconde na luminosidade dos outros. Essa doença psicossomática da inferioridade a ser suprida pelo brilhos dos ídolos. Ô raça!

Ex-Presidente da Fundação José Augusto. Jornalista. Escritor. Escreveu, entre outros, A Pátria não é Ninguém, As alças de Agave, Remanso da Piracema e Esmeralda – crime no santuário do Lima. [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo