O corvo, ou a segunda morte de Poe

Por José Geraldo Couto

Um pouco por curiosidade, um pouco por dever de ofício – e talvez também um pouco por masoquismo –, fui ver O corvo, de James McTeigue, preparado para o pior. E o que seria o pior, da minha perspectiva? Ver Edgar Allan Poe transformado num super-herói padrão, bom de briga, de tiro e de acrobacias, como fizeram nos últimos tempos com Sherlock Holmes e – podem esperar – farão um dia com Tiradentes, Buda e até Jesus Cristo.

aqui

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 + 11 =

ao topo