O dia em que o mundo acordou

“O dia em que o mundo acordou” [Romance escrito para o Twitter. Original: https://twitter.com/#!/cruviana1]

[1] O Twitter sempre me pareceu algo inacabado, por isso, repeti o de sempre. A hashtag era apenas mais uma sugestão desinteressada.

[2] #moralizejá. Escrevi junto de uma frase pouco antes de desligar o PC. Cai no sono e acordei com o telefone vibrando.

[3] Centenas de ligações. Cocei os olhos para acreditar naquela loucura. Milhões de pensamentos ruins atravessaram a minha cabeça.

[4] vc esta ns tts!! Dizia uma mensagem. Nem sabia o que era. Outra insistia: Vai no tuiter!!!!. Fiquei assustado e liguei o PC.

[5] Minha hashtag era a mais comentada. Alguém falava em manifestações em todo o Brasil. Meu telefone continuava vibrando.

[6] Dezenas de endereços piscavam nas mensagens. Todos os sites conhecidos no País só falavam a mesma coisa para o meu desespero.

[7] A droga do telefone só me apresentava números desconhecidos, com códigos de outros estados. Então resolvi ligar para alguém.

[8] Que tá acontecendo? Perguntei a um amigo. Você mobilizou o país. A presidente falou seu nome. Disse.

[9] Parecia absurdo. Ninguém se interessa por política neste país. Mas algo estava acontecendo. Até a TV dizia meu nome.

[10] A hashtag de um jornalista está provocando uma onda de protestos no País. Disse o apresentador. Dezenas estão sendo presos.

[11] Havia dormido por horas e, neste tempo, o mundo havia mudado. O povo tinha virado o jogo e a coisa parecia sem controle.

[12] Grupos articulados preparavam manifestações nos estados e usaram minha deixa. O governo também tinha um plano.

[13] Há muito, a Casa Civil queria instituir uma caça às bruxas. Em cada cidade um plano começou a ser acionado.

[14] Polícias e Forças Armadas embarcaram nas missões. O governo decretara uma série de Atos Institucionais pela “Moralização”.

[15] O AI nº 25 previa a prisão de todo e qualquer ente público envolvido em escândalos não resolvidos, incluindo aliados.

[16] Durante 40 dias, aconteceram milhares de julgamentos com centenas de condenados. Grandes nomes acabaram atrás das grades.

[17] Não eram ações isoladas. Nunca se conseguiu tantas provas e testemunhas. O povo estava apaixonado pela causa e resolveu falar.

[18] Centenas de agentes públicos estavam sendo chamados para substituir os corruptos exonerados. O momento era de recomeço.

[19] O assunto ganhou o mundo e outras revoluções estão em andamento. A #moralizejá se reproduz como um vírus em várias línguas.

[20] Tudo está melhorando, menos para mim. Virei herói, mas também o inimigo número um de um monte de gente. Vivo escondido desde então.

Filho de Apodi/RN é Jornalista, assessor de imprensa e eventos do Instituto do Cérebro da UFRN. Membro do coletivo independente Repórter de Rua, articulista no Jornal de Fato (www.defato.com) e organizador da Revista Cruviana (www.revistacruviana.blogspot.com).rinas & Urubus (www.aspirinasurubus.blogspot.com). [ Ver todos os artigos ]

Comentários

There is 1 comment for this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dez + 17 =

ao topo