O documentarista do sonho

Por Euclides Santos Mendes
O sucesso de “A Doce Vida” (1960) fez do italiano Federico Fellini um signo do cinema. Mas foi três anos depois, com “Oito e Meio”, que o adjetivo “felliniano” nasceu para o mundo.

aqui

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo