O Gráfico artesão Seu Bandeira completa 85 anos

Foto: Aldair Dantas

Seu Bandeira completa 85 anos de uma vida inteira trabalhando como gráfico. Antônio José Bandeira “Seu Bandeira” como é conhecido por todos os amantes de livros de Natal. Um homem simples mora numa casinha humilde no bairro das Rocas. Por trás daqueles óculos grossos uma vida de paixão pela gráfica. Na sua casa onde frequentei algumas vezes, as velhas máquinas alemãs. Uma terrível guilhotina, uma prensa e uma máquina de gravar. Seu Bandeira encadernou boa parte dos livros de Natal. Muitas bibliotecas foram salvas das intempéries com o santo ofício de um gráfico amador. Um gráfico amante dos livros e de suas tipografias. Foi na tipografia Lira onde Bandeira aprendeu tudo sobre seu ofício.

A encadernação preserva o livro e o salva para as gerações futuras. Bobagem achar que um dia o livro vai acabar. Ainda mais com a proteção bandeiriana. Grandes encadernadores deixaram suas marcas. O livro fica conhecido pela encadernação. A encadernação mais que um simples costurar, colar, gravar e encapar é um artesanato podendo ser uma grande arte. No livro La Reliure Française de 1900 a 1925 ( 2 Tomos ) DE Crauzat E. , vejo as primorosas edições Michel, Kieffer, Mercier, Gruel e outras obras primas da encadernação.
Seu Bandeira encaderna com um material mais simples e sem desenhos nas capas. Ele tem a sua marca e suas capas são feitas com cartolina marron ou preta e a lombada em brim onde são impressos com tipos móveis o titulo e autor do livro.

Seu Bandeira é o maior encadernador de Natal. Boa parte de minha biblioteca foi encadernada por ele. Atualmente seus filhos seguem o ofício do pai e o ajudam nesse nobre labor. Um deles se encarrega de buscar o livro e entregar no meu local de trabalho. Recomendo sempre não aparar os livros e encadernar com as capas originais.

Protejo-os como velhos amigos de todas as horas. A encadernação é como uma nova capa que protege os livros das intempéries e do manuseio.

No dia do aniversário de Seu Bandeira desejo-lhe saúde e a benção de todos os bibliófilos e amantes desse incurável vício de manter e cultuar os livros. Salve São Jerônimo e todos aqueles que fizeram do livro um objeto de desejo e de eterno amor.

Físico, poeta e professor [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Há 5 comentários para esta postagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 − 4 =

ao topo