O Judas

Todo ano, senhor editor era assim quando eu pequeno. Tinha a malhação de Judas com uma longa preparação do boneco de pano que ia levar porrada. Eu morava no Alecrim e depois nas Quintas. Na semana santa só ouvíamos música sacra. Muitos pedintes nas casas; O coração parecia mais mole. Fazíamos o leilão das peças do Judas, antes de tirá-lo do poste para massacrá-lo. Aquilo era uma festa de risos e gozos. Depois roubar galinha para a festa do sábado após de um longo jejum. Ninguém dizia nome.

No cinema São Pedro assistia a Paixão de Cristo e Marcelino Pão e Vinho. Comer carne nem pensar.

E hoje nenhum pedinte de pão. Ainda vejo os filmes da semana santa. Ali crucificaram Jesus. Fico pensando quantos de nós não somo crucificados. E quem não tiver pecado atire a primeira pedra. “Maria Madalena dos anzóis Pereira teu beijo tem aroma de botões de laranjeira ,,,.” Tudo acaba em samba.

Fosse por vontade ia pedir, meu Deus. Para eles não cometerem mais poemas. Chega de canto. Chega de blasfêmia. É dia santo …. o Judas sou eu!

Feliz Páscoa para Todos

Físico, poeta e professor [ Ver todos os artigos ]

Comentários

There is 1 comment for this article
  1. João da Mata 23 de abril de 2011 20:28

    o mundo ta cheio de Judas. Ele estava na Santa Ceia. Ele beijou Jesus. Ele o traiu mesmo gostando.
    Pedro negou tres vezes o mestre.
    o que esperar de voces?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo