O mundo dos mortos

“Creio que a melhor definição que posso dar do homem é a de que se trata de um ser que se habitua a tudo”, escreve Dostoiévski nas primeiras páginas das Memórias, quando experimenta as impressões do presídio em que viverá encerrado com outros duzentos e cinquenta presos, durante cinco anos. RONALDO CORREIA DE BRITO

AQUI

ao topo