O Novo inova

Não li tudo. Pra falar a verdade, li pouco. Prestei mais atenção nas colunas, projeto gráfico e jornalistas participantes do Novo Jornal. Gostei do projeto. Ainda é cedo para qualquer pessoa tecer comentários sólidos a partir de uma edição especial. O dia-a-dia dirá mais.

O espaço de Severino Vicente e as crônicas abaixo achei muito bacanas. Algumas pautas também bem interessantes e outras nem tanto. A mancada mesmo foi a manchete de estreia: uma repetição da manchete do Diário de Natal do dia anterior.

O papel é bom, o material humano é quase inquestionável e o projeto gráfico é semelhante à Folha. Um novo jornal, realmente. Boa pedida para o natalense com mania de grandeza, que ainda não assimilou o caderno pequeno – mesmo com todas as fotos coloridas, matérias de maior interesse do cidadão e desprovidas de qualquer viés político.

Amanhã é mais um dia de imprensa, de impresso no plano Palumbo. Ora, quem não notou? A imprensa tem sido a notícia dos últimos dias. Amanhã será de novo. É só esperar. É coisa pra jájá, com o perdão do trocadilho.

Acredito que música, literatura e esporte são ansiolíticos dos mais eficazes; que está na ralé, nos esquisitos e incompletos a faceta mais interessante da humanidade. [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo