O papa piscou

Bento 16, o papa intelectual (já debateu até com Jürgen Habermas), parece agudamente consciente de que não dá para ignorar a ciência. Como religioso, porém, está obrigado a reafirmar a superioridade da fé – sobre o conhecimento terreno – como reveladora do significado último (“verdadeiro”) da realidade.

aqui

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco − quatro =

ao topo