O poder e a mídia

O Vice-governador Iberê Ferreira de Souza ofereceu alguns dias atrás um almoço “de confraternização de fim de ano” para os jornalistas. Vez ou outra eu leio alguns jornalistas reclamarem da falta de independência dos grandes jornais de centros maiores. Dentro de uma concepção séria e de jornalismo independente, que fala em nome e para a sociedade, a primeira coisa a fazer e saber, seria de onde estaria vindo o dinheiro que pagou o almoço. Pelo que li nada disso foi falado ou dito, e parece mesmo não ter nenhuma importância. E isso em se tratando de um político, atual vice-governador e que é pré-candidato ao cargo de governador no próximo ano. Imagine!

Soube, pelo que li, que o almoço foi sucesso de “critica e de púbico”. De público (já que era BLT, ainda que “alguém” pague a conta, a questão é saber quem) tudo bem, mas de critica? Porque de critica? Deve ser para mostrar “as habilidades do candidato”. Esse é o nosso jornalismo. No entanto o mais estranho foi o fato também de ter lido que durante a sua “fala” o vice governador pedir (uma vez que ele é o candidato da situação, ou seja do próprio governo que ele faz parte) ao jornalistas que saibam separar “o Iberê candidato do Iberê governador”. O que isso significa? Nenhum questionamento. Nenhum. Esse é o nosso jornalismo! Mas o que é que ele quer dizer com essa separação? Que como candidato ele não faz parte do atual governo? Ou será que só se deve falar das “promessas” dele? Aqui só fazemos levantar a bola e “divulgar” o fato, falar para a sociedade passa longe.

Outra coisa durante o almoço foi o fato do “candidato” a governador (que tem a maquina na mão) ter feito questão de fazer uma comparação do atual governo com o de Garibaldi. Garibaldi por acaso é candidato ao governo? Pelo que eu saiba não, e sim a senador. Ou seja, a sua comparação deveria ser em relação à Rosalba Ciarline e ao exercício dela à frente da prefeitura de Mossoró. Mas não. A “estratégia” no momento é outra. Mas, nenhum questionamento por parte dos jornalistas. Nenhum. Diante de almoço grátis resta apenas relaxar e aproveitar que ninguém é de ferro. As promessas virão apenas depois. E tome promessas.

Go to TOP