O POEMA CABRALINO

O poema é uma alegria. Acontecimento. Epifania
João Cabral é um POETA que mais que escreve
Sentenças, aforismos que tonteiam as margens de
um rio heraclitiano e nunca confessável.
Um poeta barroco e de todos os estilos.
Devíamos ler o João antes de fazer poemas.
Que não dizem nada querendo dizer.

damata

O artista inconfessável / João Cabral

Fazer o que seja é inútil.
Não fazer nada é inútil.
Mas entre fazer e não fazer
mais vale o inútil do fazer.
Mas não, fazer para esquecer
que é inútil: nunca o esquecer.
Mas fazer o inútil sabendo
que ele é inútil e que seu sentido
não será sequer pressentido,
fazer: porque ele é mais difícil
do que não fazer, e dificil-
mente se poderá dizer
com mais desdém, ou então dizer
mais direto ao leitor Ninguém
que o feito o foi para ninguém.

Físico, poeta e professor [ Ver todos os artigos ]

Comments

Be the first to comment on this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP