O Poeta

“No escuro viveu, sem muro”

A vida é uma convenção. Muitas vezes o que é não é.
O poeta nem sempre escreve um livro. Vive a poesia.
O poeta pode não ser antologizado. Ou entrar na classificação de Jarbas.
A poesia é vida. A poesia é vivida. Gozada. Sofrida.
Muitos não escreveram livros e são grandes poetas.

“ a essência se oculta por detrás de si”

Poeta busca o tempo perdido
A idéia da dor
A mentira do amor
Platão sonhador.

Poesia não é brincadeira.
Muitas vezes não estar nos livros
Vaguei, vaguei. E não encontrei o verso
Essa é a regra.
Quase sempre não se pode entrar.
“Ela finge que me ama e eu finjo que acredito”

Mente. Mente. Quem disser que não naufragou.
A vida é passatempo dos imbecis.
Que finge que não brochou.

Tudo o que falo. É uma homenagem.
Todas as citações são dele
Um amigo
Um poeta

Que viveu poesia
Que não fingiu
Que não escreveu um livro de poesia e disse: sou poeta.

Poeta, sim meu amigo. Foi você.
Que teve coragem
Que sabia Camões de ponta-cabeça.

Que escapou delas

“ confiar em amor de mulher!. Tal o lucro. Tal o Lucro.
Que lúcido. Escapei de ficar maluco”

Filósofo:

“A matéria subsiste se cria por si mesma”

Poeta foi José Helmut Candido
Um cândido pintor poeta natalense

Que encontrou nessas plagas

“o nada, tragada. A mesma estrada”

Devolvi a aliança.
A confiança
A esperança.

Devolvo a você, amigo.
As tardes. As sombras
O assombro do divino
Do verso teu traguei
Prometeu

Acorrentado
De vísceras dadas aos sanguessugas
Que chupam
Copiam
E se fingem poeta.

Poeta, sim, foi você!

“ no escuro viveu,
Sem muro,
Onde escorar,
Seja rei, mendigo.
Quem for. Todos viram
Seu barco
Não ter onde ancorar”

Físico, poeta e professor [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo