O povo é o vilão?

Como entender o nosso país? Como entender Brasília? Faço as perguntas diante do resultado obtido pela Folha de São Paulo através de pesquisa realizada via Datafolha, entre os dias 14 e 18 deste mês, onde o eleitor de Brasília, vejam só, sinalizou que prefere ter de volta Joaquim Roriz para governar o Distrito. Em todos os cenários possíveis levantados pelo Datafolha, Roriz tem entre 44% e 48% da preferência do eleitorado, vencendo as eleições já no primeiro turno. O incrível é que o escândalo do mensalão do DEM tem as digitais fincadas, marcadas e expressas pelo governo de Joaquim Roriz, fato que parece mais do que claro, até o momento, diante das revelações de Durval Barbosa, o ex-secretário de Relações Institucionais do atual governo e o responsável pelas gravações que atestaram o esquema de corrupção conhecido como Caixa de Pandora.

Para quem não se lembra e é bom reavivar a memória, Durval Barbosa em depoimento ao Ministério Público Federal, confirmou aos procuradores que o esquema de corrupção começou no governo de Joaquim Roriz, em 2002, já com a participação do então deputado José Roberto Arruda.

Como explicar essa “tendência” do eleitorado em trazer de volta Joaquim Roriz? Um esquema de corrupção leva a esquecer um outro? Eta Brasil. Como diria Carlos Heitor Cony, “o povo é vilão”.

ao topo