o quarto anjo imperfeito

não foi do céu

que caiu

mas o azul

rasgou suas veias

*

esquadrinhava

os sete metros

do quarto roto

na casa-esquina

*

fingia o nome

“desejo”

esquecia em côte d’azur

a chance perdida na praia

*

tateava o escuro

em toscas lembranças

do infinito surdo

intruso

*

não ousava pisar

sobre o chão frio

minas acionadas

dentro

*

certos mitos degredos

certos mimos

brinquedos brutos

espalhados na calçada

*

e sequer sabia

das águas

que mantinham

a barca no cais

_______________

Acima, a ilustração é de Will Eisner (Nova York, 6 de março de 1917 — Flórida, 3 de janeiro de 2005) e está no livro “Um Contrato com Deus” (“A Contract with God”), publicado originalmente em 1978.

Advogado público e escritor/poeta. Membro da Academia Norte-Rio-Grandense de Letras. [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Há 3 comentários para esta postagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo