O QUE ERA

O que era
Um lugar sagrado
Virou local de exploração

O que era
Para ser administrado
Transformaram em ambição

O que era
Para ser distribuído
Foi roubado

E tudo que era
Para ser sacro
Foi entregue ao diabo.

Sou artista visual, fiz várias exposições individuais e coletivas, já participei de salões, palestras, seminários, whorshop, projetos culturais, oficinas de arte, intervenções urbana e etc... Escrevi um livro de poemas "Agonia" que é mais pessoal que poético e gosto do portugues escrito de forma simples onde pessoas com menos formação acadêmica tenham condição de ler e entender. [ Ver todos os artigos ]

Comments

There are 9 comments for this article
  1. marcos veloso 12 de Julho de 2013 12:17

    caminhos e lugares perfeitos,encontraram desvios nas estradas,caminharam por elas e acabaram encontrando as ruinas com tempo.linda poesia,rolim.

  2. Anchieta Rolim 12 de Julho de 2013 17:47

    Marcos, grato pelo comentário. Um abraço!

  3. José de Paiva 12 de Julho de 2013 19:21

    kkkkkkkk massa demais!

  4. Marcos Silva
    Marcos Silva 13 de Julho de 2013 22:45

    Anchieta, tenho dúvidas sobre as oposições apresentadas como chocantes: sagrado/exploração, administrado/ambição, distribuído/roubado, sacro/diabo. Receio que cada elemento desses já contenha o outro, sem pureza.

  5. Anchieta Rolim 13 de Julho de 2013 23:46

    Valeu, J. Paiva!

  6. Anchieta Rolim 14 de Julho de 2013 14:34

    1 – O que era
    Um lugar sagrado
    Virou local de exploração ( QUALQUER TEMPLO RELIGIOSO)

    2 – O que era
    Para ser administrado
    Transformaram em ambição ( O PODER DE QUALQUER INSTITUIÇÃO PÚBLICA: PREFEITURA, CÂMARAS, SENADO E ETC…AO INVÉS DE ADMINISTRADOS PARA O POVO, SÃO USADOS PARA O ENRIQUECIMENTO ILÍCITO DOS NOSSOS ADMINISTRADORES )

    3 – O que era
    Para ser distribuído
    Foi roubado ( O DINHEIRO DO POVO PARA O POVO)

    4 – E tudo que era
    Para ser sacro
    Foi entregue ao diabo. ( TANTOS OS POLÍTICOS COMO OS RELIGIOSOS, USAM MUITO O NOME DE DEUS EM TUDO QUE FAZEM E PRATICAM. EM MINHA OPINIÃO ELES ZOMBAM DE NÓS E DE DEUS)

    E POR FIM, ESSE POEMA É UMA CRÍTICA, TANTO AOS EXPLORADORES DA FÉ, QUANTO AOS EXPLORADORES DA NAÇÃO.

  7. Anchieta Rolim 14 de Julho de 2013 14:39

    Marcos Silva, é mais ou menos por aí… Um abraço!

  8. Marcos Silva
    Marcos Silva 15 de Julho de 2013 6:11

    Caro Anchieta:

    Sua poesia é pensada e séria. Meu comentário diz mais respeito a tensões pessoais com o universo apresentado. Lembrei, sem pretensão comparativa, de um poema de Fernando Pessoa, no livro “Mensagem”:

    xxxxx

    O DAS QUINAS

    Os Deuses vendem quanto dão.

    Compra-se a gloria com desgraça.

    Ai dos felizes, porque são

    Só o que passa!

    Baste a quem baste o que lhe basta

    O bastante de lhe bastar!

    A vida é breve, a alma é vasta:

    Ter é tardar.

    Foi com desgraça e com vileza

    Que Deus ao Christo definiu:

    Assim o oppoz à Natureza

    E Filho o ungiu.

    xxxxx

    Grande abraço.

  9. Anchieta Rolim 15 de Julho de 2013 11:42

    Marcos, valeu! E obrigado pela postagem do belo poema de F. Pessoa. Um abração!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP