o ser só

O ser só é
ao mesmo tempo inseguro e forte.
Duas solidões não se unem, aprendi.
O amor-talvez,
Seja a maior de todas as transgressões.
As outras, são:
A Ironia, a sátira e o riso contra todas as ideologias e tiranias.
Ria. Ria muito. Rio também potengi do amor e da dor.
O dia dei-o. O DIAMANTES.
Pretendia sair para ver as ruas e as meninas, mas, o
Parabrisa não funciona e (só) posso brincar de adeuses.
Quando a brisa aqui abunda.

Físico, poeta e professor [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Há 6 comentários para esta postagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo