Poema de Oreny Júnior

o tempo está sublinhado
como se a tecla travasse
a alma presa por si ao corpo

onde jaz sem partir
sublinhado ao egoísmo
quando diz ainda me deves

e o preço é estar sublinhado
sem sombras
num céu de infelizes

o olhar sublinhado
no tempo de dentes
de porcelanas

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo