O Universo em expansão

O Mundo em expansão

Mas Beatriz, que o enlevo meu notava
“Daquele ponto o céu e a natureza
Estão na dependência” – me falava

Olha o círc’lo mais próximo e a presteza,
Que tanto lhe acelera o movimento
De ardentíssimo amor punge-o a viveza.

Dante

O conhecimento do mundo avança na medida em que se pressupõe que o universo é inteligível. Na compreensão desse mundo várias linguagens são possíveis. Para Galileu Galilei essa linguagem era a matemática. O mundo estava escrito em ideogramas matemáticos e só quem pudesse lê-los poderia compreender as leis da natureza.
O modelo do Universo de Camões é Ptolomáico com algumas modificações.
Numa rara coincidência de imaginação poética e matemática, o poeta Dante (séc. XIII) chegou a conceber uma visão de do universo que tinha notáveis semelhanças com o universo do grande matemático Bernhard Riemann (séc. XIX). Riemann, filho de um ministro protestante, inventou uma geometria não euclidiana que podia ser aplicada a um espaço curvo com três ou mais dimensões. Essa geometria foi muito importante no desenvolvimento da matemática e da física moderna. Na divina comédia, Dante descreve o seu universo formado de duas partes. Uma delas tem a Terra no centro, em torno da qual giram as esferas da Lua, do Sol, dos vários planetas e das estrelas fixas. A esfera exterior, que envolve todo o universo visível, se chama “Primum Mobile” (nono céu). O que se encontra além dessa esfera é o “Empíreo”, que Dante representa por outra esfera, com várias ordens de anjos dando voltas em esferas concêntricas ao redor de um ponto central que irradia uma luz muito intensa, quase segadora.
Na academia de Platão estava escrito: Aqui não entre quem não souber geometria. Platão estava certo. A geometria é a essência da física e do conhecimento do universo. O universo de Dante e riemmaniano. O mundo de Camões é ptolomáico. A matéria dobra o espaço, na física de Einstein. Boa parte desse universo é formada de matéria e energia escura que ainda não sabemos do que se trata.
Durante muito tempo o homem acreditou que a Terra era o centro do universo e que o movimento circular era o movimento perfeito. O movimento dos astros celestes. A descoberta que a órbita dos planetas era elíptica e de que a Terra não era o centro do sistema solar foi uma das difíceis mudanças de paradigmas da física.
Hoje o homem busca outros sistemas planetários semelhantes ao nosso. Procura vida lá fora, sabendo que mais de noventa e cinco por cento da energia e matéria do universo é escura. O universo expande acelerado. A cosmologia avança a passos de gigantes na busca da compreensão do universo. Os pesquisadores Saul Perlmutter, Brian P. Schmidt e Adam G. Riess, receberam o premio Nobel de Física 2011 pela descoberta da expansão acelerada do Universo.

Físico, poeta e professor [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo