O vestido da “serenidade, ordem e progresso” da senhora Temer

A criatividade jornalística, no limite da ficção ou ficção propriamente dita, não surpreende mais ninguém. Sempre convivemos com isso na imprensa.

Nos últimos tempos, então, o jornalismo brasileiro tem sido pródigo em nos abastecer com esse rico material. Em alguns casos, provoca riso. Em outros, raiva. Difícil mesmo é ficar indiferente.

O artigo do colunista da FSP, Pedro Diniz, sobre o vestido que Marcela Temer vestiu ontem, (aqui) no desfile do dia 7, se encaixa no primeiro caso. Eu ri um bocado com o texto.

Começa logo arrasador, informando que se trata de “um resumo do que o seu marido quer transmitir no início da gestão como presidente: serenidade, ordem e progresso.”

Pera lá, minha gente. Mas, acho que o “resumo” não funcionou ou funcionou pelo avesso. Tanto que as vaias vieram de todo jeito. A “cor da paz” não colou!

O problema, claro, não está no vestido da senhora “bela, recatada e do lar”, mas na leitura da realidade feita pelo articulista.

Ora, as ruas incendiadas pelo Fora Temer, os direitos sociais sob ameaça e a violência campeando e o camarada vir falar na “serenidade, ordem e progresso” que o vestido branco de Marcela representa.

Não menos curiosa é a afirmação de que o vestido “também soa como resposta a quem acusa Michel Temer de ser um político distante do povo”.

Que danado uma coisa tem a ver com outra? O vestido vai mudar essa realidade? Desculpem, não entendi!

Tudo bem, sou jornalista, sei que às vezes a gente é obrigado a escrever determinados centímetros para preencher uma coluna, e nos valemos de “linguiça” (jargão da redação), conversa mole, quando faltam argumentos razoáveis para chegar até o fim, mas até a ficção precisa de alguma verossimilhança para convencer o leitor.

Não pode forçar a barra demais senão o resultado é o oposto do pretendido.

Sim, antes que eu esqueça, o relevante assunto também foi tratado em outros dois jornalões, O Estado de São Paulo e O Globo. Não li, dei-me por satisfeito com o da FSP.

PS. Eu já havia fechado o meu texto quando vi esses dois tweets, que tem a ver com o que escrevi:

Aécio de Papelão ‏(@aeciodepapelaocasa)

“Neste look de Marcela, o governo alerta para extinção das jaguatiricas na Mata Atlântica”.

jaguar

Sérgio Augusto ‏@SergiusAugustus

“Seria a roupa de Eva Braun um resumo do que seu marido queria transmitir no início da gestão no 3º Reich?”

reic

Comments

Be the first to comment on this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP