Obama vs. WikiLeaks, a primeira derrota

Por Nelson de Sá
FSP

Na análise “Revés para Obama, acordo resguarda trabalho da imprensa”, escrevi sobre a derrota na campanha do governo americano para reprimir vazamentos de segurança nacional, na ação contra Thomas Drake, funcionário da NSA que teria passado informações ao “Baltimore Sun”.

A campanha processa integrantes de cinco órgãos, NSA, CIA, FBI, Pentágono e Departamento de Estado, para dar exemplo. O alvo maior é Bradley Manning, que teria vazado os despachos do WikiLeaks, em ação que tenta incluir o próprio Julian Assange. O caso Drake era um teste para a viabilidade do uso da lei antiespionagem contra funcionários que vazam para a imprensa, não para países estrangeiros.

A repressão de Obama aos “whistle-blowers”, delatores de desvios governamentais a jornalistas, é comparável à de Richard Nixon. Drake, que podia pegar 35 anos de cadeia e sairá livre, marca uma derrota também comparável à de Nixon, quanto tentou processar Daniel Ellsberg em 1973, por vazar os Papéis do Pentágono ao “New York Times”.

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo