Odores e rastros

No amanhecer

Galos, rocios e cantares.

 

No estábulo

Costumes, cheiros e esterques.

 

No matagal

Bichos, perigos e veredas.

 

No entardecer

Regresso, janelas e esperas.

Escritor e professor universitário. [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Há 4 comentários para esta postagem
  1. David Leite 27 de outubro de 2014 20:49

    Grato, Danclads…
    Abraços

  2. Danclads Lins de Andrade 27 de outubro de 2014 16:50

    Só o poeta , dotado de uma sensibilidade maior do que a maioria das pessoas, é capaz de captar as sensações por trás do que costumeiramente se vê e você David faz (e neste poema, fez) com maestria.

    Parabéns.

  3. David Leite 26 de outubro de 2014 14:53

    Obrigado, amigo…

  4. Anchieta Rolim 26 de outubro de 2014 11:28

    “…Regresso, janelas e esperas.” Massa! Um abração. David!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo