Ontem faz dez anos

Uma década é um bocado de tempo. É de assustar, quando qualquer coisa “faz 10 anos”. E é assim que se sente a banda Revolver, ao comemorar o aniversário do disco homônimo, lançado em 2006. Curioso, costurar cada pedaço da colcha de retalhos, ou memórias, tentando resgatar o que se passava na nossa cabeça, à época.

Cinco amigos, todos na casa dos 20, cada um com sua namoradinha, seu drinque preferido, seus fins de adolescência, a bem da verdade. Ocupados, todos, em descobrir um bar novo, um disco novo, experimentar o que a vida pudesse oferecer além da faculdade ou do primeiro emprego.

Uma alquimia poderosa, frise-se, apesar da pouca experiência. O óbvio amor pelos Beatles era nota fácil nos encontros, ensaios e shows – além das cervejadas. Junto a isso, um punhado de jovens cabeças pensantes e inspiradas completava a fórmula que deu origem ao álbum, gravado ao longo de 12 meses e entregue ao público no dia 1º de abril daquele já longínquo ano.

Revolver_3O palco escolhido para a festa foi o finado Budda Pub, em Ponta Negra. O local, aliás, faz uma falta danada na noite natalense. Fôssemos nós Jesus Cristo, o Budda seria a manjedoura. É bom deixar logo explícitas as desculpas, inclusive, pelas heresias da sentença anterior, afinal lembramos bem o que costuma ocorrer quando se mistura Beatles com JC. Ops.

O material foi lançado em CD e distribuído em todo o País pela dobradinha DoSol/Tratore, sob a batuta do incansável Anderson Foca. As condições, contudo, não permitiram uma continuidade no trabalho. Infelizmente. Ainda houve força para gravar, em 2009, um EP com algumas músicas que haviam ficado de fora do disco, mas já de forma independente e com lançamento exclusivamente virtual.

Com Cronos disposto a competir nos 100m rasos, e somando o pacote “obrigações/trabalho/família” na equação de todos, naturalmente o ímpeto arrefeceu. Hoje somos um grupo de amigos, todos trintões, que eventualmente se encontram pra tirar um som e tomar uma cerveja. Até o repertório mudou – do ieieiê para a psicodelia dos anos 70. Ten Years After, fazer o quê… Mas os Beatles, intocáveis, ainda estão lá.

Mesmo “correndo frouxo”, o espírito da banda deu uma sacudida, com o aniversário do álbum. Estamos preparando surpresas para o segundo semestre, devemos gravar algo e fazer alguns shows comemorativos. É só esperar notícias. Até.

Bancário, jornalista e músico. Vivo nas horas vagas junto a Larissa, Liz e Lia. Amor sempre. [ Ver todos os artigos ]

Comments

Be the first to comment on this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP