Os amantes do Café Flora

(Les Amants du Flore)

Por que temos tanto desejo de saber dos amantes? Quando os amantes são famosos, ai – então, o desejo vira um caso de voyeurismo. O filme “Os amantes do Café Flore” ambientado preferencialmente em Montparnasse, e Saint-Germain-des-Prés (onde fica o famoso Café de Flora) narra com bastante detalhe os amores entre o existencialista Sartre (Laurant Deutsch ) e uma bela Simone de Beuavoir. Ora, pois, Simone não foi uma mulher bonita nem tão pouco grande escritora. A autora do Segundo Sexo amou loucamente outros. No belo filme do café parisiense aparece seu grande amor pelo romancista americano Nelson Algren.

Surge, agora, o livro de memórias “A Lebre da Patagônia” – do francês Claude Lanzmann – narrando o seu caso de amor com a famosa feminista.

Sartre foi um intelectual brilhante e Simone apaixonou-se por seu intelecto e estrabismo, mas amou fisicamente outros homens em triângulos amorosos aparentemente consentidos.

Não sei por que estou falando isso. Talvez por gostar também de histórias de amor. E ter lido loucamente Sartre e Simone

Sartre está enterrado junto com Simone no famoso cemitério Pere Lachaise, em Paris. Quando visitar a França não deixe de ir no cemitério onde estão enterrados outros grandes como Balzac, Chopin, Proust, Jim Morrison e muitos famosos

No filme dos amantes do café dirigido por Ilan Duran Cohen, brilhantemente contracenados por Deutsch e Anna Mouglalis (Simone ), aparecem outros grandes escritores e suas frases célebres : Albert Camus, François Mauriac, Andre Malraux e Aragon. Não deixe de assistir o filme e amar.

O intelectual também pode ser um grande amante.

Físico, poeta e professor [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Há 4 comentários para esta postagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

17 − 16 =

ao topo