Os anos 80, meu tempo louco

Um comentário de Anne no meu mais recente post me fez lembrar (como uma madeleine proustiana) de uma época bem peculiar em minha vida, quando estava num processo de adolescência muitíssimo complicado, a pele do rosto estourada, ouvindo muito rock (Iron Maiden – foto -, Ozzy Osbourne, Ronnie James Dio, AC/DC, Whitesnake, Saxon, Deep Purple, Pink Floyd, Led Zeppelin, Viper – que era a banda do meu primo Felipe Machado ), e dando os primeiros beijos de boca nas meninas, além de me rebelar contra a forma quadrada do ensino católico (meu querido Colégio das Neves, quantas saudades!) e contra as regras do mundo social, tendo me iniciado nos rituais muito masculinos das bebidas alcoólicas, experimentando os meus primeiros e loucos porres (que se multiplicariam depois- rsrsrsrs).

Gustavo de Castro, que foi um dos meus colegas mais irreverentes e mais talentosos, deve ter também muitas histórias para contar sobre aquela época.

Eram os anos 80.

Naquele período, mais especificamente entre 1985 e 1986, eu fiquei tão baratinado que entrei em recuperação pela primeira vez, e logo em cinco matérias. Eu, que nunca tinha nem passado perto de recuperação escolar…só me salvava nas provas de história, geografia e língua portuguesa, matérias que sempre adorei.

Passei a gazear aulas e ir curtir shows de Cazuza, Legião Urbana, Lobão, Ultraje a Rigor, Paralamas do Sucesso, Kid Abelha, Biquini Cavadão, Capital Inicial… todos lá no “saudoso” Palácio dos Esportes ou no estádio Juvenal Lamartine.

Pedalava a minha “magrela” de dez marchas todos os dias e, nos finais de semana, ia para Genipabu, Ponta Negra, Praia dos Artistas, ou outra praia qualquer, fazer farras homéricas com os meus amigos, regadas a cerveja, cachaça ou vinho Sangue de Boi e forradas por caranguejos, ostras e outros petiscos menos votados.

Era uma época de sonhos, muitos sonhos. E muita, muita irresponsabilidade.

Minhas saudades, hoje renovadas, envolvem também a esperança de formatar novos sonhos…talvez, com menos loucuras. (rsrsrs)

Advogado público e escritor/poeta. Membro da Academia Norte-Rio-Grandense de Letras. [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Há 6 comentários para esta postagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete − 9 =

ao topo