Os dedos de Fernando

Caros amigos:

Collor de Mello, quando presidente, revelou extrema habilidade no manuseio do dinheiro público para fins privados. Na época, aventou-se a hipótese de que tanta capacidade se devesse ao fato de ele talvez ser portador de polidactilia, rara manifestação anatômica – nascer com seis dedos em cada mão. Nesse caso, seria uma vitória a mais dele sobre seu principal oponente nas eleições de 1989, que não possuía (e continua a não possuir pois não fez cirurgia de implante) um dedo numa das mãos devido a acidente de trabalho.
Não costumo prestar atenção nesses detalhes anatômicos dos políticos. Prefiro politizar o debate da política e evitar piadas no nível dos programas humorísticos do SBT e canais congêneres, que exploram deficiências físicas – impotência sexual, feiúra, etc. Mas respeito o direito alheio de se fixar em tais peculiaridades corporais e interpretativas. Num debate em Porto Alegre, durante seminário em homenagem a Cornelius Castoriadis, Marilena Chauí até comparou o exibicionismo corporal de Fernando ao tema do “duplo corpo do rei [corpo físico e corpo místico]” (apud: CASTORIADIS, Cornelius. A criação histórica, pp 47/51). Existe um livro clássico de Ernest Kantorowicz sobre esse tema – “Os dois corpos do rei” -, publicado entre nós pela Cia. das Letras.

Abraços:

Nasci em Natal (1950). Vivo em São Paulo desde 1970. Estudei História e Artes Visuais. Escrevo sobre História (Imprensa, Artes Visuais, Cinema Literatura, Ensino). Traduzo poemas e letras de canções (do inglês e do francês). Publiquei lvros pelas editoras Brasiliense, Marco Zero, Papirus, Paz e Terra, Perspectiva, EDUFRN e EDUFRJ. Canto música popular. Nado e malho [ Ver todos os artigos ]

Go to TOP