Os porquinhos e porcões natalenses

Procurei no Google uma foto de lixo em praia de Natal e não achei nenhuma sequer satisfatória. Esta acima é de uma praia em Macaé, tirada hoje (01), após o réveillon. Foi assim que amanheceu também a Praia dos Artistas.

TC

Eu já ia mesmo escrever sobre a ação dos porcos brasileiros no natal e ano novo – no lugar de “brasileiros’, eu tinha escrito “potiguares”, mas depois do artigo de Ruth de Aquino, mais abaixo, tenho a obrigação de generalizar.

A falta de educação é geral, perpassa todas as classes sociais. Já caminhei em Ponta Negra, suposta praia de elite, e na Praia dos Artistas, suposta praia do povão, após festas de natal e ano novo e os resultados são os mesmos.

É uma experiência aterradora, se o cara não estiver preparado ele volta pra casa deprimido e acreditando ainda mais na inviabilidade do ser humano.

Hoje mesmo eu revivi isso. E tomei uma atitude impulsiva, pedi aos garis da urbana um saco e me uni a eles recolhendo o lixo da praia. Troquei a caminhada que faria e por cerca de uma hora recolhi o lixo deixado pelos porquinhos e porcões natalenses.

Impressiona não somente a quantidade de lixo deixada para trás, mas também a convivência harmoniosa das famílias que chegam mais cedo à praia, estendidas na areia em meio a dejetos de todo tipo, de fralda infantil a copos, pratos e canudos plásticos, garrafas, cocos, resultados do piquenique a céu aberto.

A visão é infernal.

No caso, não adiantam lixeiras e outras medidas sem antes uma campanha de conscientização. E eu não lembro de nenhuma campanha nesse sentido (nem pontual e nem sistemática) feita pela prefeitura nos últimos anos. O que vemos são campanhas personalistas e politiqueiras, mensagens idiotas e slogans imbecis pagos com o nosso dinheiro, lixo, da praia à TV.

No ano passado eu passei por tudo isso. E só lamentei e fiquei triste. Este ano (hoje), dei um pequeno passo (muito mais simbólico, vá lá), peguei um saco e durante uma hora recolhi lixo – a coluna pediu para parar – rs. No próximo ano penso em alargar esse passo, convidando os pluralistas para uma limpeza de praia no primeiro dia do ano.

Quem se habilita?

Comentários

Há 7 comentários para esta postagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × 2 =

ao topo