[Ousadias] “Sou Piva”, de Anchella Monte

Sou Piva

 

Sobrevoo a cidade

os prédios são juntas,

articulam-se e ardem

acidez e deleite

sou atenção e tenso

tomo das luzes e das sombras

a liberdade que me persegue

me diverte.

 

A mim compete

escolher amores, o sexo é o sino

acorda as fazendas das andanças de menino

e as lembranças de cama

na mais tenra idade.

Sobrevoo os campos

músculos e movimentos viris de pás e enxadas

cavam e afloram, dores são consequências.

 

Sobrevoo a floresta

gavião de vista aguda

a água me atrai, me atraem as presas

– e todas elas têm defesas:

ou a rapidez

a camuflagem

o corpo pequeno e flexível

o vento soprando ao contrário.

Caçador sem remorso

voo e vigio, nas alturas.

 

A fome é o que me tange

para ela as palavras, o corpo sobre a rede,

os mormaços, espaços, verdes e cinzas

do campo, da cidade, da parafina

que derrete e de novo endurece, a vida.

 

 

 

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo