Painel sobre Modernismo no Nordeste e inserção de Câmara Cascudo na poética dos anos 20 abre Flipipa

Participam do painel os professores Humberto Hermenegildo (à esq.), Suely Costa, José Luiz Ferreira, Neroaldo Pontes e Nonato Gurgel. Esta será uma das três mesas locais do Flipipa

Festival acontece de 22 a 24, e terá ainda Luís Fernando Veríssimo, Sérgio Santa’Anna, Joyce Pascowitch, Reinaldo Moraes, João Paulo Cuenca, Tatiana Salem Levy, Zuenir Ventura, Joyce Pascowitch, Bené Fonteles, Ana Miranda, Nelson Xavier, Antônio Cícero, Rafael Gallo, além de vários escritores, intelectuais e jornalistas locais.

“Não gosto de sertão verde, sertão de violeiro e de açude cheio, sertão de rio descendo lento, largo, limpo (…) Prefiro o sertão vermelho, bruto, bravo, com o couro da terra furado pelos serrotes hirtos, altos, secos, híspidos e a terra é cinza poalhando um sol de cobre…” a estética do sertão, o contraste e a musicalidade contidos no poema “Não Gosto de Sertão Verde” são apenas alguns dos muitos aspectos que colocaram Luís da Câmara Cascudo nas rodas do movimento modernista brasileiro. O poema, publicado originalmente na revista Terra Roxa e Outras Terras, revista que teve entre colaboradores nomes como Mário de Andrade, será um dos temas do painel “O Modernismo na Poética de Câmara Cascudo”, que abre o 4º Festival Literário da Pipa-Flipipa, dia 22 de novembro, às 17h30, na Tenda dos Autores.

A abordagem modernista e a inclusão de Cascudo escritor serão visitados sob vários pontos de vista. Cinco convidados participam do Painel, três deles ligados ao Núcleo Câmara Cascudo de Estudos Norte-Rio-Grandenses, vinculado ao Departamento de Letras da UFRN, entre outros departamentos: Humberto Hermenegildo, Suely Costa, José Luiz Ferreira, além do pernambucano Neroaldo Pontes e do potiguar radicado no Rio de Janeiro, professor Nonato Gurgel, que será o mediador.

Especialista em Literatura brasileira, crítica literária e modernismo, além de pesquisador do Núcleo Câmara Cascudo, o professor Humberto Hermenegildo evocará as relações entre Câmara Cascudo e o pernambucano Joaquim Inojosa de Andrade através das correspondências trocadas pelos intelectuais, tendo ainda como interlocutor o paulista Mário de Andrade. Além de estabelecer vínculos entre os autores, as cartas apontam o cenário de difusão do movimento no Nordeste e este para o Brasil.

De acordo com o professor José Luiz Ferreira, o Painel vai percorrer o movimento modernista a partir de Cascudo. “Como o tempo será curto, cada convidado vai abordar um aspecto em formatos distintos. No meu caso, farei a leitura comentada do poema Não Gosto de Sertão Verde’”, comentou o professor. Neste poema, a própria temática do sertão é o elemento estético que o insere no modernismo. “Cascudo apresenta o sertão a partir desse aspecto duplo para a discussão, ou seja, é a tradição sertaneja que vai importar nesse momento”. José Luiz Ferreira é professor da área de Letras na UFERSA e atua em temas como tradição literária e cultural, modernismo, regionalismo e modernidade literária com estudos sobre produção literária de Luís da Câmara Cascudo nos anos de 1920 e 1930.

A leitura poética também será a escolha da escritora Maria Suely da Costa na sua fala. Ela vai ler o poema “Banzo” (Subiu a toada/dos negros mocambos/ Sahiu a mandinga/de pretos retintos/vestidos de ganga. Quillengue, Loanda, Basuto e Marvanda/ fazendo munganga/ tentando chamêgo cantando a Changô…”). Suely é professora de Literatura e Teoria Literária (UEPB) e é colaboradora do Núcleo Câmara Cascudo, além de ter publicado e organizado vários livros com temas ligados aos anos 20.

O modernismo no Nordeste será a abordagem do pernambucano Neroaldo Pontes de Azevedo. Ex-reitor da Universidade Federal da Paraíba, Neroaldo é um estudioso do modernismo no Nordeste. A mediação do painel ficará a cargo de Nonato Gurgel, professor de Teoria Literária na Universidade Federal do Rio de Janeiro. Nonato também lançará durante o Flipipa o livro “Luvas na Marginália – escritos em torno da poética de Ana C”.

SOBRE O FESTIVAL

O Flipipa acontece de 22 a 24 de novembro na rua Baía dos Golfinhos. A entrada é franca. Entre os autores convidados estão Luís Fernando Veríssimo, Sérgio Santa’Anna. Reinaldo Moraes, João Paulo Cuenca, Tatiana Salem Levy, Zuenir Ventura, Joyce Pascowitch, Bené Fonteles, Ana Miranda, Nelson Xavier, Antônio Cícero, Rafael Gallo, além de vários escritores, intelectuais e jornalistas locais.

O Flipipa 2012 é uma realização do Projeto Nação Potiguar e Fundação Hélio Galvão. Tem patrocínio da Ecocil, e parceiros Sistema Fecomércio/Sesc, Fiern/Sesi, Intertv, Sebrae RN, além de apoio cultural da Associação de Hoteis e Pousadas da Pipa, Hotel Ponta do Madeiro, Vitaminas FDC, Tribuna do Norte, Cooperativa Cultura Universitária, Jovem Pan, Sethas, Cabo Telecom, Mariz Comunicação, Bodega Brasil e Sebo Vermelho.

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo