“Palácio de Neve”

Pouco tempo depois de postar curto comentário sobre a peça “Palácio de Neve”, que entra em cartaz hoje no RJ, recebi por e-mail release enviado por Bianca Senna com mais informações sobre a montagem,que fica em cartaz até outubro. Muito grato Bianca. Abaixo o release.

**********

Após 12 anos de auto-exílio na Alemanha, um poeta chamado Ka retorna a seu país, a Turquia, para o enterro de sua mãe, e resolve ir a uma pequena aldeia, Kars, para investigar uma série de suicídios de jovens mulheres. A história de Ka, de autoria do escritor turco Orhan Pamuk, que recebeu o prêmio Nobel de Literatura em 2006, está no livro “Neve”, e foi adaptada para o teatro por Celina Sodré, diretora do Studio Stanislavski. A estreia de Palácio de Neve será no dia 24 de julho, no Instituto do Ator, e faz parte da comemoração dos 18 anos da companhia. A temporada será de sexta a domingo, até 04 de outubro.

Durante sua visita a Kars, o poeta Ka, interpretado por Raphael Andrade, fica isolado na cidade devido a uma tempestade de neve e se vê como protagonista involuntário de uma série de episódios, inclusive de um golpe político. Ao mesmo tempo, Ka inicia uma relação amorosa com uma antiga colega de universidade, Ipek (Dinah Cesare). No elenco, também estão os atores Marcus Fritsch (Orhan, o narrador), Carlos Tonelli (Azul, líder islamita), Branca Temer (Kadife, irmã de Ipek), Juan Carlos (radical islamita) e Joana dos Santos (Teslime, jovem suicida e Necip, estudante religioso).

A dramaturgia foi concebida ao longo do processo de criação do próprio espetáculo. Desta forma, através de um processo colaborativo entre os níveis da dramaturgia, da atuação e da direção, o texto definitivo surgiu organicamente. Esta é uma das principais características do trabalho da companhia Studio Stanislavski, que este ano comemora 18 anos.

Uma das personalidades artísticas e políticas mais influentes no mundo contemporâneo, Pamuk investiga situações do mundo atual em “Neve”. A conexão e o embate entre Oriente e Ocidente e as suas conseqüências para a contemporaneidade: a tensão entre tradição e modernidade. Além disto, traz à tona a reflexão sobre o lugar da poesia neste início de século.

No âmbito artístico, o espetáculo dá continuidade ao processo de pesquisa cênica da companhia que experimenta a interseção da literatura com uma dramaturgia física, gerando uma obra autônoma em relação ao texto original, mas fiel a sua originalidade.

SOBRE A COMPANHIA

O Studio Stanislavski, idealizado e dirigido por Celina Sodré, é um centro de pesquisa e formação teatral que vem desenvolvendo, há 18 anos, um trabalho de investigação centrado na arte do ator e que tem como mestres Constantin Stanislavski e Jerzy Grotowski, com quem Sodré estudou no final dos anos 80. Essa pesquisa gerou a criação e produção de 28 espetáculos apresentados em temporadas e festivais no Brasil e na Europa. Em 1992, Celina foi indicada para o prêmio Shell na categoria especial, pela criação do Projeto Mizanceni do RioArte, tendo sido indicada para o mesmo prêmio, em 1995, pela continuidade da pesquisa. Em 1996, São Hamlet foi indicado como melhor espetáculo e melhor cenografia (José Dias) para o Prêmio Cultura Inglesa. No ano seguinte, Luisa Pasello foi indicada para o prêmio UBU, na Itália, de melhor atriz pela atuação em Killing Maria. Ainda em 1997, o espetáculo Amor Consciente foi indicado para duas premiações: Cultura Inglesa, de melhor atriz para Beth Goulart e Shell, de iluminação, para Mauricio Cardoso. Celina também é professora de interpretação teatral da Casa das Artes de Laranjeiras (CAL) desde 1996.

Há um ano, a diretora inaugurou – em parceria com 27 profissionais ligados às artes cênicas – o Instituto do Ator (www.institutodoator.com.br), um laboratório de pesquisa voltado para a especialização de atores que também conta com espaço para encenação de espetáculos para platéias de até 40 espectadores.

SERVIÇO

Estreia 24 de julho – Em cartaz até 4 de outubro
Sextas e sábados, às 21h – Domingo, às 20h
Rua da Lapa 161, Lapa – RJ – Informações: (21) 2221-8040

ao topo