Panorama das artes visuais

Achei demasiado oportuna e argumentada a sugestão do artista plástico Fernando Gurgel de unir os salões de artes existentes em Natal para formatar um único evento, maior, mais prestigiado e organizado. A idéia bem podia ressoar nos órgãos gestores da nossa cultura, que podiam, também, trabalhar em parceria para viabilizar o projeto. Fernando Gurgel comentou essa sugestão em entrevista concedida ao também artista plástico Vicente Vitoriano, em sua coluna publicada no Diário de Natal de hoje, toda ela a despeito do Panorama das Artes Visuais – RN, do qual participou como membro da Comissão Julgadora:

Vicente Vitoriano – Que sugestões você faz à organização do Panorama e às dos outros Salões da cidade?
Fernando Gurgel – (…) Imagino que uma cidade do porte de Natal não consiga suportar três salões praticamente colados entre si. Percebi que vários artistas mesmo com obras distintas, num curto espaço de tempo repetiram a sua participação em todos os eventos. (…). Seria possível transformar os salões Abraham Palatnik, Salão da Cidade e o recém criado Panorama em um só? Imaginem a força que um salão unificado teria. Claro que cada instituição com a sua representação, mantendo as suas premiações, porém, adequando-as a um só formato. As cotas divididas, porém gastos com o evento reduzidos. Quem sabe um nome abrangente como Visuais RN pudesse acolher a idéia? O Centro de Convenções, amplo, moderno, seria um espaço ideal para o evento, dispondo de auditório para palestras, debates, mostras de vídeo-arte, além de outros espaços que poderiam funcionar, em paralelo à mostra. Imagino o mês de janeiro como momento ideal para evento desse porte. No centro de convenções, porta dos hotéis da costeira, ganharíamos todos: órgãos promotores, a cidade, a arte e principalmente os artistas.

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo